Nunca deixe para começar amanhã

Senhor, o que queres que eu faça?

Por Rosa Clara Franzoi

Imagine-se num lugar aprazível, bonito, onde a natureza explode em toda a sua pujança. Depois de olhar e apreciar tudo, experimente fechar os olhos. Aquela beleza toda entra no seu coração e na sua imaginação e você continua vendo, percebendo e sentindo a vibração que toma conta de seu ser. E se isso não acontece, é porque, infelizmente, você está vivendo distraído e agindo roboticamente. Os robôs podem ter os olhos bem abertos, mas nada percebem. Todas as coisas criadas acontecem por um chamado de amor; e a sua presença, cada qual desempenhando a sua finalidade, é a resposta amorosa ao seu Criador e Senhor. O mundo não é obra do acaso. Não foi o acaso que lhe deu a vida e a pôs em movimento. “Faça-se.... E Deus viu que tudo era bom” (Gn 1). Ao dar existência a todos os seres, Deus deu a cada um, uma tarefa específica a cumprir; e eles a desenvolvem fielmente. É por isso que os astros não se chocam entre si; todos seguem a ordem estabelecida pelo Criador. E como os astros, todos os demais seres da natureza.

Uma Criação diferenciada

Quando Deus pensou em criar o ser humano, ele o imaginou inteligente, com vontade própria e lhe deu o precioso dom da liberdade. Só nós, humanos, temos o privilégio de fazer opções conscientes e livres; de escolher esta ou aquela maneira de organizar e orientar a nossa própria vida. Tudo o que foi criado, foi colocado a serviço do ser humano. “Crescei, multiplicai-vos e dominai a terra” – é assim que lemos na Bíblia Sagrada, no primeiro capítulo do livro do Gênesis (Gn 1, 28). Talvez, pensamos muito pouco na responsabilidade que nos foi dada por Deus, em relação ao mundo que nos rodeia, e em relação à nossa, e à vida de cada pessoa. Talvez, paramos pouco para pensar que Deus, mesmo respeitando a nossa liberdade quanto a escolha do nosso futuro, está continuamente torcendo para que não façamos nenhuma besteira, e em poucos instantes coloquemos tudo a perder - adeus, liberdade! Esta é a questão que deve nos preocupar: A vida, e o que iremos fazer com ela.

O que será que Deus quer de mim?

Para todos chega o momento de ter que responder às perguntas: O que serei amanhã? Qual será o meu futuro? Seja em termos profissionais ou vocacionais. Nunca esquecer de acrescentar outra pergunta: Senhor, o que queres que eu faça? Essa disposição de abertura, já é meio caminho andado; porque Deus é quem mais quer que nos sintamos realizados. Ele, mais do que ninguém quer que acertemos na escolha do nosso futuro e sejamos felizes. E você, quer acertar? Oriente a sua busca sempre na direção do bem, da verdade, do compromisso, da doação, nunca na direção do egoísmo e você estará no caminho certo.

Não deixe para começar amanhã este caminho de busca. A vida é curta e passa num piscar de olhos. Cultive a sua liberdade, porque tudo o que não é assumido, livre e conscientemente, não é duradouro.

Para refletir:

Leia o texto do livro do Gênesis 1, 26-28 e tente responder:

1 - Você já se deu conta que foi criado à semelhança de Deus e que pode estar sendo chamado para alguma missão importante sobre a terra?

2 - O que significa para você cultivar a própria liberdade?

* Rosa Clara Franzoi, MC, é animadora vocacional.
(CC BY 3.0 BR)

Deixe uma resposta

3 × cinco =