Papa aos bispos: "Estejam próximos aos sacerdotes e amem os pobres"

Radio Vaticana

Em sua série de audiências, na manhã deste sábado, no Vaticano, o Papa Francisco recebeu o Presidente da Letônia, Andris Berzins, com sua comitiva presidencial, e o Prefeito da Congregação para os Bispos, Cardeal Marc Ouellet.

A seguir, na Sala Clementina, o Santo Padre recebeu cerca de 120 novos bispos, participantes no Seminário, promovido pela Congregação para a Evangelização dos Povos, que, em duas semanas, abordou vários temas, entre os quais as dimensões da vida e do ministério episcopal, respondendo à missão fundamental da Igreja, que é anunciar o Evangelho.

Aos bispos recém nomeados, acompanhados pelo Cardeal Fernando Filoni, o Papa desejou que este Seminário de atualização possa ser frutuoso para cada um, tanto em nível espiritual quanto pastoral. E, citando a sua Exortação Apostólica Evangelii gaudium, o Pontífice afirmou que, em nossos dias, se percebe a urgente necessidade de uma conversão missionária, uma conversão que engloba todos os batizados e paróquias, e, de modo particular, os Pastores, chamados a vivê-la e a testemunhá-la por primeiro, como guias das Igrejas particulares.

Portanto, o Papa os encorajou a canalizar sua vida e seu ministério episcopal na direção desta transformação missionária, que, hoje, interpela o Povo de Deus. Ao centro da conversão missionária da Igreja destacam-se o serviço à humanidade e a imitação de Cristo. A Igreja, comunidade evangelizadora, é chamada a crescer na unidade e a defender a vida humana.

A Igreja precisa de Pastores, ou seja, de servidores; de bispos que saibam ajoelhar-se diante dos outros e lavar seus pés; de pastores que estejam ao lado das pessoas; que sejam pais e irmãos, mansos, pacientes e misericordiosos; que amem a pobreza; que vigiem incessantemente o rebanho, mantendo-os unidos e fiéis ao Evangelho e à Igreja.

Neste sentido, o Pontífice exortou os novos bispos a se esforçarem em dar um autêntico impulso missionário às suas Comunidades diocesanas, para que cresçam sempre mais, sobretudo pelo seu testemunho de vida e do seu ministério episcopal, exercido a serviço do Povo de Deus. "Estejam próximos aos seus sacerdotes, zelem pela vida religiosa, amem os pobres".

Ao término da audiência, o Papa Francisco expressou seu pesar pela ausência de certos bispos, que não puderam participar do Seminário de atualização, por vários motivos. Aqui o Santo Padre fez uma referência particular aos bispos chineses, aos quais expressou sua solidariedade pessoal, como também a de todos os bispos do mundo. Eles, disse, não devem se sentir sozinhos e distantes, mas unidos à Igreja, certos de que, na fé comum, seus sofrimentos produzirão muitos frutos, grandes frutos, para o bem de seus fiéis, dos seus concidadãos e de toda a Igreja.

Por fim, o Santo Padre pediu a oração dos novos bispos para a próxima assembléia sinodal sobre a família, que se realizará no Vaticano no início de outubro. As famílias são a base da obra da evangelização, mediante a sua missão educadora e sua participação ativa na vida das comunidades paroquiais. Por isso, o Papa pediu aos bispos recém nomeados que incentivem a Pastoral Familiar, a fim de que as famílias, orientadas e formadas, possam dar, cada vez mais, a sua contribuição para a vida da Igreja e da sociedade.

 

Fonte: Site Radio Vaticano

Deixe uma resposta

quatro − dois =