Festa litúrgica dos Mártires da Argélia beatificados no dia 8 de dezembro de 2018.

WhatsApp Image 2020-05-08 at 16.35.32

A celebração foi na Basílica de Santa Cruz, em Oranb, 21 anos após o assassinato. São seis religiosas e 11 monges, incluindo os sete cistercienses de Tibhirine, que tiveram seu martírio reconhecido.

Por Jaime C. Patias, IMC*

Por graça de Deus estive próximo de alguns desses mártires. O padre francês, Christian Chessel, da congregação dos Missionários da África (Padres Brancos) foi meu colega no curso de Teologia em Londres, Inglaterra. Jovem inteligente e centrado em sua vocação, após a ordenação partiu para a Argélia onde sofreu o martírio com outros três companheiros, no dia 27 de dezembro 1994. Na altura, eu já trabalhava em Mapinhane, no sul de Moçambique. Por coincidência em 1995 chegaram na mesma Missão três Irmãs Agostinianas Missionárias para trabalhar na futura Escola Secundária Padre Gumiero que fundamos juntos. Eram da mesma congregação de outras duas mártires da Argélia: as Irmãs espanholas, Esther Paniagua Alonso e Caridad Alvarez Martin, assassinadas na Argélia em 23 de outubro de 1994. Ouvi muitas vezes relatos sobre a vida e a missão dessas duas mulheres Consagradas e dos demais mártires da Algéria, terra natal Santo Agostinho (Tagaste, 354).

Fiéis ao Evangelho, lavaram as vestes de seus compromissos no sangue do Cordeiro. Todos são fermentos do Reino. “Vidas pela vida, vidas pelo Reino...Todas as nossas vidas, como as suas vidas, como a Vida d’Ele. O Mártir Jesus.

Diante das situações difíceis e dramáticas, nós cristãos “temos a memória da Páscoa. Não se trata de escolher o martírio, mas de dar sentido ao risco, colocando-se no seguimento de Cristo, prontos a dar vida pelos irmãos e irmãs não importa o credo, a nacionalidade. Em cada Eucaristia celebramos a vida: vitória do vivente diante dos assassinos” (Diário dos mártires de Tibhirine).

Na Eucaristia, ao comungarmos o Corpo e Sangue de Cristo, não estamos simplesmente recebendo uma Hóstia consagrada, mas estamos tomando parte de sua própria vida e missão. Dessa forma, faz-se a passagem das vítimas do povo para as vítimas da missão e para a Vítima eucarística, Jesus Cristo, vivo e ressuscitado. E os mártires, que a exemplo de Cristo foram pregados em uma cruz, são fermento do Reino que produzem frutos para a vida eterna.
A força do testemunho desses mártires sempre me deram muita coragem e confiança na missão.

Protetores em 2020

Este ano de 2020, nós os Missionários e Missionárias da Consolata, escolhemos os Mártires da Argélia como Protetores da missão. Que eles e elas intercedam por nós e pelas necessidades da humanidade neste momento ferida pelo flagelo do Coronavírus e pelo martírio cotidiano.

Quem são esses mártires?

Os mais conhecidos dos 19 são os sete monges cistercienses de Tibhirine que inspiraram o premiado filme "Homens e deuses". Eles foram sequestrados em março de 1996 em seu mosteiro Nossa Senhora do Atlas, Argélia. Somente suas cabeças foram encontradas poucos meses mais tarde.

As seis religiosas, menos conhecidas do grande público, foram mortas nesta mesma década, em 1994 e 1995, em Argel.

Dom Pierre Claverie, Bispo de Oran, foi assassinado em 1º de agosto de 1996 com a explosão de uma bomba em frente ao bispado. Ele tinha 58 anos de idade. Um atentado que ocorreu logo após a visita à Argélia do ministro das Relações Exteriores da França, Hervé de Charette, que foi ao túmulo dos monges de Tibhirine.

Esses mártires que viveram a serviço do povo argelino são apenas alguns nomes dos mais de 50 mil vítimas, principalmente muçulmanas, da guerra civil dos anos 90, tempos sombrios na Aregélia.

Lista dos Beatos, na ordem cronológica de seu assassinato:

  • 08 de maio de 1994 em Argel: Irmão Henri Vergès, nascido em 15 julho de 1930 em Matemale, religioso marista e professor de francês e Irmã Paul-Hélène Saint-Raymond, nascida em 24 de janeiro de 1927 em Paris, religiosa francesa das Pequenas irmãs da Assunção.
  • 23 de outubro de 1994 em Bab El Oued: Irmã Esther Paniagua Alonso, nascida em 07 de junho de 1949 em Izagre, freira espanhola das Irmãs Agostinianas Missionárias e Irmã Caridad AlvarezMartin, nascida 09 de maio de 1933, em Santa Cruz de la Salceda, freira espanhola das Irmãs Missionárias Agostinianas.
  • Em 27 de dezembro de 1994, em Tizi Ouzou: quatro Padres Brancos, incluindo três cidadãos franceses: padre Jean Chevillard, nascido 27 agosto de 1925 em Angers, padre Alain Dieulangard, nascido em 21 de maio de 1919 em Saint-Brieuc, e o padre Christian Chessel, nascido em 27 de outubro de 1958 em Digne, e um belga, padre Charles Deckers, nascido em 26 de dezembro de 1924 na Antuérpia.
  • Em 03 de setembro de 1995, em Belouizdad: Irmã Angèle-Marie Littlejohn, nascida em 22 de novembro de 1933 em Túnis, religiosa francesa das Irmãs Missionárias de Nossa Senhora dos Apóstolos, e a Irmã Bibiane Leclercq, nascida em 08 de janeiro de 1930 em Gazeran, religiosa francesas das Irmãs Missionárias de Nossa Senhora dos Apóstolos.
  • 10 de novembro de 1995 em Argel: Irmã Odette Prévost, nascida em 17 de julho de 1932 em Oger, religiosa francesa das Pequenas Irmãs do Sagrado Coração.
  • Em 21 de maio de 1996, próximo a Medéia, sete monges de Tibhirine (dois outros irmãos escaparam do sequestro).
  • Irmão Christian de Chergé: nascido em 18 de janeiro de 1937 em Colmar, padre cisterciense francês, prior da comunidade desde 1984, monge desde 1969, na Argélia desde 1971.
  • Irmão Luc Dochier: nascido em 31 de janeiro de 1914 em Bourg-de-Péage, monge cisterciense francês desde 1941, na Argélia desde agosto de 1946. Médico, viveu cinquenta anos em Tibhirine. Tratou todos de forma gratuita, sem distinção de religião.
  • Irmão Christophe Lebreton: nascido em 11 de outubro de 1950 em Blois, sacerdote cisterciense francês, monge desde 1974, na Argélia desde 1987.
  • Irmão Michel Fleury: nascido em 21 de maio de 1944 em Sainte-Anne-sur-Brivet, monge cisterciense francês desde 1981, na Argélia desde 1985. Membro do Instituto de Prado, era o cozinheiro da comunidade.
  • Irmão Bruno Lemarchand: nascido em 1º de março de 1930 em Saint-Maixent l'École, sacerdote cisterciense francês, monge desde 1981, na Argélia e no Marrocos desde 1989.
  • Irmão Célestin Ringeard: nascido em 27 de março de 1933 em Touvois, sacerdote cisterciense francês, monge desde 1983, na Argélia desde 1987.
  • Irmão Paul Favre-Miville: nascido em 17 de abril de 1939 em Vinzier, religioso cisterciense francês desde 1984, na Argélia desde 1989. Era responsável pelo sistema de irrigação do jardim do mosteiro.
  • 1º de agosto de 1996: Dom Pierre Claverie, nascido em 8 de maio de 1938 em Argel, padre dominicano, bispo de Oran desde 1981.
*Pe. Jaime Carlos Patias, IMC, Conselheiro Geral para América.

Deixe uma resposta

quinze − 2 =