Missionários da Consolata concluem Assembleia Continental

Reunidos em Bogotá, Colômbia, 31 missionários levantaram desafios e discutiram propostas para revitalização e reestruturação do trabalho missionário no continente.

Por Maria Emerenciana Raia

Os missionários da Consolata estiveram reunidos em Bogotá, Colômbia, de 5 a 10 de março, para definir propostas para a missão no continente América e traçar uma linha-guia para as Conferências Regionais. Ao encerrar os trabalhos, os participantes divulgaram uma Mensagem com as principais decisões. “Rever e avaliar as presenças a fim de fechar algumas e abrir outras mais de acordo com o carisma Ad Gentes e as opções do continente; consolidar equipes trabalhando de forma articulada e em rede; realizar um biênio continental sobre a Animação Vocacional”, foram alguns dos compromissos assumidos.

Os participantes mostraram solidariedade com a situação dramática da Venezuela e reforçaram a “necessidade de acompanhar e apoiar o povo venezuelano. Para isto, a Assembleia se propôs a formar no continente uma equipe de missionários para apoiar, junto às forças eclesiais e humanitárias, os venezuelanos que emigram para Boa Vista, Roraima, Brasil”.

Asamblea Continental AméricaNa Mensagem Final, os participantes afirmam que conseguiram trabalhar em profundidade sobre as opções missionárias assumidas no continente, como formar discípulos missionários, a vida fraterna em comunidade, a animação missionária e vocacional com os jovens, a comunicação e a educação, o mundo étnico afrodescendente, indígena e a Amazônia, os migrantes e refugiados, as periferias urbanas e existenciais, a economia para a missão, o cuidado com a Criação e o diálogo inter-religioso, e finalmente, o trabalho em comum entre os missionários, as missionárias e os leigos missionários da Consolata.

Na Assembleia foram levantados alguns desafios do trabalho missionário no continente e propostas algumas ações, no intuito de uma reestruturação e revitalização da caminhada missionária, como por exemplo, com relação à pastoral vocacional, propondo-se realizar um biênio continental sobre a Animação Vocacional, reavaliar a presença dos missionários no continente, a fim de fechar algumas casas ou abrir outras, de acordo com o carisma Ad Gentes, trabalhar em rede, criar uma equipe missionária para situações de emergência humanitária, construir um portal com conteúdos comuns, reunindo os sites das circunscrições e trabalhar sempre em comunhão.

Agir
Os missionários, fiéis ao chamado e ao envio, consolados por Deus com a Virgem Mãe de Nazaré, se propuseram partir revitalizados, com alegre pressa, em grupos, em equipes e/ou em comunidades, de mãos dadas com a Igreja e com tantas pessoas de boa vontade, para ir até às periferias urbanas e existenciais para ver as sementes do Verbo germinar. Manifestaram o desejo de se misturar aos migrantes e refugiados para acabar com a orfandade dos sem pátria. Comprometeram-se a unir as vozes aos gritos de resistência dos indígenas, afrodescendentes e jovens, para assim, ajudar a descer os crucificados das cruzes impostas pelo mercado avarento, pela exclusão e pela injustiça.

Dentro desse movimento de mudanças e dinamismo, os missionários querem ser no continente América, animadores alegres, agradecidos e anunciadores da missão de Deus, testemunhas e promotores do discipulado missionário do Senhor Jesus, com o estilo, o método e a espiritualidade carismática, recebidos por meio do Bem-aventurado Fundador e Formador, José Allamano. Os missionários estão convencidos que agindo desta forma atrairão outros a seguir a vocação religiosa e missionária.

Na Assembleia, os presentes se solidarizaram com a situação da Venezuela e sentiram a necessidade de acompanhar e apoiar o povo venezuelano através de gestos concretos. Para isto se propuseram formar no continente, uma equipe de missionários para apoiar, junto às forças eclesiais e humanitárias, os venezuelanos que emigram para Boa Vista, RR.

Como filhos do Allamano que trabalham no continente América, sentiram a urgência de uma revitalização e reestruturação centrada em Jesus Cristo, fundadas mais no “ser” do que no “fazer” e evidenciada em um estilo mais discreto, humilde e propositivo. Propuseram-se, “concordes e iluminados", com "espírito de família" e "em unidade de intenções", como o fizeram as irmãs da Consolata, as Bem-aventuradas Irene e Leonella. Os missionários afirmaram ser da Consolata como elas, consolados para consolar! Seguindo as pegadas de Santo Oscar Romero e com o impulso do Espírito, convidam toda a Família Consolata a sulcar a missão na América com passos proféticos!

Maria Emerenciana Raia é editora da revista Missões. Com informações da Assessoria de Imprensa da Assembleia Continental em Bogotá, Colômbia.

Deixe uma resposta

13 − sete =