Juventude esteve presente no Congresso Missionário Nacional

Jovens participaram de oficinas no segundo dia do Congresso Missionário Nacional e refletiram sobre a importância da sua participação na política e sociedade.

Por Robério Crisóstomo da Silva*

No dia 8 de setembro, sexta-feira, os jovens participantes do 4o. Congresso Missionário Nacional em Recife, refletiram sobre o papel da juventude na igreja e na sociedade hoje.

Foi frisado que a juventude precisa estar mais presente nas causas sociais, sobretudo na política. A realidade política atual é preocupante, pois existe um sistema político enraizado dominador e ideológico que manipula a pessoa e a deixa escrava de um sistema opressor.

20170908_142121A juventude não pode esperar, pois tem potencial que gera sempre o comprometimento na comunidade. É preciso, a partir das nossas experiências, concretizar a missão em um contexto de transformação. O testemunho dos jovens tem se fundamentado em uma experiência pessoal, individualista e otimista. Esta postura deve não se sobressair na nossa espiritualidade e ação pastoral, mas a conjuntura atual deve motivar e entusiasmar em conduzir a missão na abertura e diálogo com os vários rostos dos jovens na Igreja.

O Congresso Missionário Nacional foi realizado em terras marcadas por grandes iniciativas missionárias, e dom Hélder foi sinal de profecia em tempos ditatoriais, realidades estas que não fogem das situações hoje presentes.

A juventude missionária não pode se omitir, este Congresso serviu para conduzir as juventudes presentes na Igreja e no país em uma atual postura de revolucionar as causas atuais no campo social, político e sobretudo eclesial. A juventude missionária (JM) tem sua espiritualidade própria, está e deve ser sempre mais missionária.

Na Oficina, os jovens pediram experiências de missão para que o espírito missionário contagiasse a todos verdadeiramente ao ponto de torná-los vivos e perseverantes na causa. A identidade não pode se perder. O que diferencia a juventude missionária é o gosto de evangelizar, anunciar e ser canal para que Deus aja e transforme.

*Robério Crisóstomo da Silva, imc, é coordenador da Animação Missionária Vocacional dos missionários da Consolata na Região Brasil e participou do 4o. Congresso Missionário Nacional.

Deixe uma resposta

12 + 1 =