Comire Sul 4 (Santa Catarina) promove formação sobre espiritualidade missionária

A missão vem de Deus porque Deus é Amor que abraça toda a humanidade. Ele nos convoca a cooperar em sua missão em todo o mundo: na pastoral, na Nova Evangelização e na missão aos povos” (ad gentes)

Por POM

000 a a a acomire sc1

A afirmação fez parte do conteúdo apresentado pelo secretário nacional da Pontifícia União Missionária, padre Jaime C. Patias em encontro promovido pelo Conselho Missionário Regional Sul 4 da CNBB.

000 a a a acomire sc 5A formação reuniu nos dias 12 a 14, no Centro de Formação Católico, em Lages (SC), cerca de 50 lideranças que trabalham na animação missionária, entre os quais, coordenadores de Conselhos Missionários Diocesanos (Comidis), Infância e Adolescência Missionária (IAM), Juventude Missionária (JM), ministros da Palavra e da Eucaristia, religiosas, seminaristas e padres de nove dioceses de Santa Catarina.

Ao aprofundar o tema da formação, o assessor lembrou que “a missão é de Deus junto à qual nós somos convidados a colaborar. Assim nasce a cooperação missionária. Nesse sentido, não é a Igreja que tem uma missão, mas Deus que tem uma Igreja para chegar a todos os povos. Então nós não podemos ser simplesmente membros da Igreja, mas missão de Deus no mundo. Para que isso aconteça temos que sair, sair de nós mesmo, da nossa casa, da comunidade e até do país. Nem todos podem sair, mas alguém deve partir e a comunidade precisa encontrar formas de se conectar também com a missão além-fronteiras”, afirmou padre Patias.

“Espiritualidade é uma palavra ambígua, levando as pessoas a confundirem com espiritualismo. A espiritualidade é resultado duma mística, uma experiência de apreensão do divino em nós e no mundo. É mais um sentir Deus do que pensar Nele. É uma experiência de comunhão profunda com o divino e com a obra da criação onde tudo está interligado com todas as dimensões da nossa vida”, explicou padre Jaime C. Patias. “Espiritualismo, por sua vez, é uma fuga do mundo, da matéria, dos desafios da vida”, complementou.

000 a a a acomire sc 2Dom Odelir José Magri, bispo de Chapecó e referencial da dimensão missionária no Regional Sul 4 acompanhou os trabalhos. “Aqui encontramos representantes das dioceses que depois se tornam multiplicadores nas Igrejas locais. Além das formações específicas em Brasília, contamos com a assessoria das Pontifícias Obras Missionárias (POM) que marcam presença nos regionais. É um trabalho muito bonito de sintonia, sobretudo com a primeira das cinco urgências na ação evangelizadora da Igreja no Brasil: Igreja em estado permanente de missão”, destacou o bispo missionário Comboniano que já esteve em missão na República Democrática do Congo.

000 a a a acomire sc4O coordenador do Comire Sul 4, padre Celso Carlos dos Santos, conduziu os trabalhos e avaliou a formação. “O encontro foi significativo, sobretudo porque estamos intensificando a articulação dos Comidis e Comipas. As reflexões contribuem para fortalecer este trabalho. O tema da espiritualidade missionária nos ajudou a compreender a caminhada que precisamos fazer para viver aquilo que a Igreja está pedindo e o papa Francisco insiste numa Igreja em saída em direção às periferias”. Para padre Celso, outro ponto forte do encontro foi a presença significativa das dioceses do Regional (nove das 10 dioceses enviaram representantes). Agora o Comire pretende organizar e fortalecer os Comidis até a Assembleia do Regional marcada para o mês de outubro. A programação prevê outros encontros e trabalhos nas dioceses.

Uma celebração encerrou as atividades com destaque para a vela recordando a luz da fé e a unção, símbolo do envio, momento em que os participantes se comprometeram a seguir os impulsos do Espírito de Deus nos mesmos passos trilhados por Jesus Cristo.

Fonte: POM

Deixe uma resposta

9 + 9 =