Alterações climáticas causam fome na Etiópia

Seca está a ameaçar milhões de pessoas na Etiópia. A falta de chuva no país é uma consequência da degradação ambiental

Por Juliana Batista
Foto: Siegfried Modola/Reuters

22abr2013---homem-puxa-camelos-pela-depressao-de-danakil-na-etiopia-um-dos-lugares-mais-quentes-do-planeta-1444424077775_956x500

Mais de 10,2 milhões de pessoas estão ameaçadas pela fome devido à grave seca que a atinge a Etiópia, alertam os bispos locais. Num documento sobre o tema, os prelados referem que a seca «é uma consequência direta das alterações climáticas e da degradação ambiental», que está a criar «uma situação de emergência nunca antes presenciada no país».

Os bispos afirmam que a seca tem obrigado famílias a migrarem para outras regiões, provocando «uma grande incerteza sobre o seu futuro» e pedem a organismos católicos, organizações e «pessoas de boa vontade» que se unam para ajudar a população afetada.

No mesmo relatório, os prelados dão conta dos esforços que têm sido realizados pelas organizações não governamentais e humanitárias para «salvar a vida da população que vive em áreas afetadas pela seca». A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre foi uma das primeiras a responder ao apelo dos bispos etíopes. A entidade contribui com 460 mil euros em favor de 13 dioceses da Etiópia. A doação deverá ajudar 1.415 famílias ao longo deste ano.

Fonte: Fátima Missionária

Deixe uma resposta

17 − quatro =