A valorização do conhecimento indígena para o mundo

11.01.2023 - Cerimônias de assunção nos cargos das ministras da Igualdade Racial, Anielle Franco, e dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, com assinatura da sanção presidencial ao Projeto de Lei n° 4566/2021, que tipifica a injúria racial como crime de racismo. Foto: Ricardo Stuckert/PR

11.01.2023 - Cerimônias de assunção nos cargos das ministras da Igualdade Racial, Anielle Franco, e dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, com assinatura da sanção presidencial ao Projeto de Lei n° 4566/2021, que tipifica a injúria racial como crime de racismo. Foto: Ricardo Stuckert/PR

Ministra dos Povos Indígenas do Brasil destaca importância do conhecimento tradicional em seminário internacional no Vaticano.

Da Redação

Na Casina Pio IV, na Cidade do Vaticano, nos dias 14 e 15 de março, ocorreu o Seminário Internacional Indigenous People’s Knowledge and the Sciences (Conhecimento dos Povos Indígenas e as Ciências), promovido pelas Pontifícias Academias das Ciências e das Ciências Sociais. O evento teve como objetivo principal explorar as respostas que o conhecimento das comunidades indígenas pode oferecer ao mundo científico, visando enfrentar desafios globais como a crise climática, a perda de biodiversidade e ameaças à segurança alimentar e à saúde.

Um dos momentos destacados do seminário foi o discurso da Ministra dos Povos Indígenas do Brasil, Sônia Guajajara, na primeira sessão intitulada "Conhecimento e ciência dos Povos Indígenas – Desafios e oportunidades". Guajajara expressou sua gratidão pelo convite e destacou a importância do evento em promover o diálogo entre o conhecimento tradicional indígena e a ciência para abordar os desafios globais.

Guajajara enfatizou a relevância dos conhecimentos e modos de vida indígenas na proteção da biodiversidade, ressaltando que 80% da biodiversidade protegida no mundo está em territórios indígenas. Além disso, destacou a necessidade urgente de reconhecimento e proteção dos territórios tradicionais dos povos indígenas, como uma medida essencial na luta contra as mudanças climáticas e na preservação dos conhecimentos tradicionais.

A Ministra também abordou desafios contemporâneos enfrentados pelas comunidades indígenas, como a mineração em seus territórios e a necessidade de regulamentação dos mercados de crédito de carbono para proteger os interesses das comunidades.

Por fim, Guajajara anunciou a adesão do Brasil à Coalizão dos Sistemas Alimentares Indígenas da FAO, destacando a importância de políticas que valorizem os sistemas alimentares locais e apoiem a produção de alimentos de acordo com os conhecimentos tradicionais.

O discurso da Ministra Sônia Guajajara reforçou a necessidade de união entre as pautas do meio ambiente e dos direitos humanos, bem como a importância de reconhecer e respeitar os conhecimentos tradicionais dos povos indígenas como parte fundamental da busca por soluções para os desafios globais.

O evento contou com a participação de representantes de comunidades indígenas de todo o mundo, autoridades do mundo científico global e foi marcado por um diálogo enriquecedor e comprometido com a construção de um futuro mais justo e sustentável.

Com informações da sarapegbe

Deixe uma resposta

15 − quatro =