Colômbia celebra o Dia Nacional de Oração pela Reconciliação e Paz

Países hispânicos como a Colômbia, Espanha, Chile, Equador, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Argentina e Venezuela celebram hoje a Festa da Santa Cruz, em memória do achado da verdadeira Cruz de Cristo.

Por Redação*

Países hispanófonos celebram a Festa da Santa Cruz nesta data, com destaque para a Colômbia, onde desde 2018 a festividade está associada ao Dia Nacional de Oração pela Reconciliação e Paz. Durante sua visita em 2017, o Papa Francisco falou sobre a importância de contribuir para a construção da paz.

Nesta quarta-feira, 3 de maio, países hispânicos como a Colômbia, Espanha, Chile, Equador, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Argentina e Venezuela celebram a Festa da Santa Cruz, em memória do achado da verdadeira Cruz de Cristo. Na Colômbia, desde 2018, essa festividade litúrgica tem sido associada ao Dia Nacional de Oração pela Reconciliação e Paz no país. Durante a visita do Papa Francisco à Colômbia, em setembro de 2017, com o tema "Demos o primeiro passo", o Pontífice falou sobre a importância de trabalhar no aspecto espiritual para promover o perdão e a reconciliação, apesar das feridas do conflito sofrido por décadas. O Papa destacou a necessidade de promover a reconciliação com o Senhor, com os irmãos e com o meio ambiente, e encorajou a sair ao encontro do outro e a estender a mão em sinal de paz.

A Conferência Episcopal da Colômbia propôs três maneiras concretas de viver o Dia Nacional de Oração pela Reconciliação e Paz, que ocorre em conjunto com a Festa da Santa Cruz em 3 de maio. O arcebispo de Bogotá e presidente da Conferência, dom Luis José Rueda Aparicio, sugeriu que as pessoas coloquem a cruz em um lugar visível em suas casas, façam gestos de reconciliação com aqueles ao seu redor e rezem para que a Colômbia encontre caminhos de reconciliação e para que toda a humanidade possa encontrar Jesus Cristo. Além disso, a Conferência disponibilizou um texto intitulado "Rumo a uma Pastoral de Reconciliação e Paz", que apresenta as Diretrizes do Episcopado para trabalhar em direção a esse objetivo nas dioceses e paróquias colombianas. O documento inclui cinco seções que abordam o quadro conceitual para a reconciliação e a paz, a importância e alcance da pastoral para a reconciliação e a paz, os critérios eclesiais para a construção da paz e a pedagogia para a construção da paz.

O caminho para a reconciliação e a paz na Colômbia é um processo em andamento, mas que exige comprometimento e ações concretas por parte de todos os envolvidos. Para alcançar esse objetivo, a Conferência Episcopal da Colômbia propõe diversas medidas, entre elas a importância de colocar a cruz em um lugar visível como um símbolo de reconciliação, fazer gestos de reconciliação com as pessoas próximas, rezar pela paz e trabalhar para que a Colômbia possa encontrar caminhos de reconciliação.

Além disso, a Conferência Episcopal disponibiliza o documento "Rumo a uma Pastoral de Reconciliação e Paz", que apresenta diretrizes para entender e trabalhar em direção à reconciliação nas dioceses e paróquias colombianas. O documento propõe medidas como a reconciliação social, atenção integral às vítimas, mudança do modelo econômico, superação da ilegalidade e da corrupção e formação política da sociedade civil.

Para a Conferência Episcopal, a paz é possível e necessária para uma sociedade cansada de guerra. É um trabalho coletivo que implica reconhecer os erros do passado e assumir compromissos concretos no presente. A Igreja na Colômbia renova sua opção pela reconciliação e pela paz de forma decisiva e ousada, confiando no poder do Espírito, nos valores do Evangelho e na bondade do povo colombiano.

Com informações da Vatican News.

Deixe uma resposta

3 × 2 =