Centro Dom Bosco eliminado do Youtube

No decorrer de sua breve existência (desde 2016), o Centro veiculou vídeos, invariavelmente contrapondo-se aos sucessores dos apóstolos.

Por Edson Luiz Sampel

A providência (punição!) tomada pelo Youtube, cancelando a conta do Centro Dom Bosco, talvez silencie cabalmente o famigerado grupo tradicionalista carioca. No decorrer de sua breve existência (desde 2016), o Centro Dom Bosco veiculou vídeos, invariavelmente contrapondo-se aos sucessores dos apóstolos.

centrodombosco2Pautassem suas manifestações na sã e ortodoxa doutrina católica, lastreada no Concílio Vaticano II, o tal grupo de leigos contribuiria com críticas construtivas e respeitosas. Mas, esses irmãos da Cidade Maravilhosa, certamente faltos de formação teológica, misturaram teorias da conspiração com anacronismos; estimularam a desobediência ao papa Francisco, ao fomentarem o descumprimento da carta apostólica Traditiones Custodes, a qual praticamente proíbe a missa em latim, em virtude do elo entre este “rito” e a não aceitação do caráter vinculante do Concílio Vaticano II. A propósito, carentes de qualquer base teológica ou pastoral, ousaram contestar este maravilhoso vigésimo primeiro concílio ecumênico. Confundiram os católicos incautos que assistiam aos vídeos.

O Youtube encerrou a conta alegando violação às diretrizes. Certamente, não há nenhuma relação com a heterodoxia religiosa do Centro Dom Bosco. De qualquer forma, para a Igreja, especialmente para a Arquidiocese do Rio de Janeiro, o silenciamento midiático do Centro Dom Bosco parece algo positivo, à medida que cessa de atuar uma entidade que desnorteava os católicos, fanatizando-os.

Edson Luiz Sampel é  professor do Instituto Superior de Direito Canônico de Londrina.
Presidente da Comissão Especial de Direito Canônico da 116ª Subseção da OAB-SP.

Deixe uma resposta

um × dois =