Nossa Senhora do Rosário no Catar

Além a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, existem duas outras igrejas católicas no Catar, ambas de rito oriental: a Igreja Católica Sírio-Malancar de Santa Maria e a Igreja Sírio-Malabar de São Tomás.

Por Merche Crespo

O templo ficará aberto para receber os torcedores que quiserem ter um momento de oração durante a realização da Copa do Mundo.

A igreja católica de Nossa Senhora do Rosário (árabe: كنيسة سيدة الوردية) foi construída em Doha, em um terreno doado em 2005 pelo Emir do Catar.

A região, chamada de “Cidade da Igreja”, na periferia da capital do país, também abriga outras igrejas cristãs: anglicanas, ortodoxas gregas, ortodoxas sírias, coptas e cristãs indianas. Todas fazem parte do complexo religioso de Abu Hamour.

catar3Segundo o Vigário Apostólico do Norte da Arábia, Monsenhor Paul Hinder, durante os dias em que a Copa do Mundo for disputada “a igreja de Nossa Senhora do Rosário permanecerá aberta para todos os torcedores que quiserem ter um momento de oração e meditação”.

Igreja sem cruz
Esta imensa e moderna igreja, de forma arredondada, é a primeira construída no país desde a conquista muçulmana no século VII, embora o cristianismo tenha chegado antes do islamismo à Península Arábica.

Mas foi a religião islâmica que prevaleceu nessas terras e agora é a religião oficial desses estados, incluindo o Catar. Por esta razão, e devido às leis islâmicas, a igreja não exibe símbolos cristãos no exterior: nem cruzes, nem campanário, nem sinos.

Abertura religiosa
Antes da construção dessa Igreja, os católicos do país rezavam de improviso em “capelas” dentro de casa ou em escolas, já que o país proibia a prática de qualquer religião que não fosse o Islã. O padre John Vanderleen, professor da escola americana, era o único pároco do país.

Mas em 1995, o novo emir do Catar, Hamad bin Khalifa Al Thani, concedeu liberdade de culto e outros padres receberam autorização para entrar no país. Além disso, o Catar estabeleceu relações diplomáticas com a Santa Sé em 2003 e o emir, inclusive, visitou o Papa Bento XVI no Vaticano.

Na época do anúncio desta decisão, soube-se que o governo do Catar iria ceder à Igreja Católica vários terrenos para a construção de templos, de acordo com as necessidades. E isso, de fato, tem acontecido.

A igreja de Nossa Senhora do Rosário
No dia da inauguração da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a Rádio Vaticano afirmou que este foi “um acontecimento de importância histórica após 14 séculos”.

Foi no dia 14 de março de 2009 que aconteceram a inauguração e a consagração da igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Mais de 15.000 fiéis assistiram à missa de inauguração e consagração. O Cardeal Dias agradeceu “a Deus e ao Catar por este grande dom da Igreja” e, na ocasião, foi oferecido à nova paróquia um cálice enviado pelo Papa Bento XVI.

A igreja tem capacidade para receber cerca de 5.000 pessoas. É composta por um templo principal e duas capelas (Capela do Sacramento e Capela de Alverna).

O recinto possui ainda um edifício paroquial (com muitas salas para catequese e outras atividades), uma casa paroquial, uma biblioteca e uma cafeteria.

Mas o que mais impressiona no seu interior são as suas enormes dimensões e a explosão de cores, sobretudo graças aos vitrais, da autoria de Emile Hirsch.

Vitrais de grande formato
Graças às doações dos fiéis, a Igreja conseguiu comprar os vitrais, restaurá-los, transportá-los e instalá-los neste templo, em Doha. E o Ministério da Cultura da França autorizou sua saída do território francês. Eles agora são propriedade da Igreja Católica do Catar.

Os vitrais foram instalados de forma a ficarem protegidos do calor e da areia do local. Oito deles festão no coro da Igreja e outros dois na capela ao lado.

Todos tratam exclusivamente de temas religiosos: o profeta Isaías, a Árvore de Jessé, a apresentação da Virgem no Templo, a Anunciação, a visita da Virgem à sua prima Santa Isabel, a misericórdia, Cristo dá a comunhão à Virgem e a Assunção .

Cada vitral mede 3,7m x 0,98m e é feito de cacos de vidro unidos por tiras de chumbo.

Católicos no Catar
O templo está sob a administração dos sacerdotes da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, ordem encarregada pela pastoral do Vicariato Apostólico da Arábia do Norte, ao qual pertencem Bahrein, Catar, Arábia Saudita e Kuwait.

A Igreja Católica na Península Arábica desenvolveu-se rapidamente desde a década de 1990, em grande parte devido aos expatriados, principalmente das Filipinas e da Índia. Estes constituem a quase totalidade dos fiéis do Vicariato e trabalham, sobretudo, em empresas dos setores do petróleo, gás e construção.

Rito Latino e Rito Oriental
Embora não existam dados oficiais, estima-se que haja mais de 1 milhão de católicos na Arábia Saudita. Só no Catar seriam de 200.000 a 300.000 católicos.

Além a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, existem duas outras igrejas católicas no Catar, ambas de rito oriental: a Igreja Católica Sírio-Malancar de Santa Maria e a Igreja Sírio-Malabar de São Tomás. Cerca de 80% dos fiéis pertencem ao rito latino, enquanto o restante pertence ao rito oriental, siro malabar e siro malankar.

Fiéis de quase todo o mundo
As missas no Catar acontecem nas diferentes línguas de seus fiéis: árabe, inglês, italiano, espanhol, urdu, tagalo, coreano, indonésio ou tâmil.

Monsenhor Hinder, Administrador Apostólico da região reconhece: “Somos uma igreja peregrina. O desafio é sermos uma igreja multicultural, multilíngue e multirracial, composta por fiéis de mais ou menos quase todo o mundo”.

No entanto, a Península Arábica tornou-se agora uma comunidade cristã viva, uma “ponte” entre diferentes áreas do mundo e, portanto, entre diferentes culturas.

Podemos aproveitar especialmente estes dias Copa para rezar pelos nossos irmãos do Catar e por todos aqueles que têm dificuldade em viver a sua fé. Que Nossa Senhora do Rosário os proteja!

Fonte: Aleteia

Deixe uma resposta

17 − quatro =