Viver a vocação cristã para dar um futuro aos jovens

Bispos exortam políticos cristãos, governantes tradicionais, tecnocratas, profissionais, especialmente os da mídia, a viver sua vocação cristã na luta contra a corrupção.

 Por Fides

“Denunciamos fortemente as políticas e práticas de nossos governos e líderes que facilitam e permitem a exploração e marginalização de nossos povos e colocam em risco o futuro de nossas crianças”, afirmam os membros da Conferência Episcopal Regional da África Ocidental (CEREAO/RECOWA) no comunicado publicado no final da IV Assembleia Plenária realizada em Abuja, Nigéria, durante a qual o Bispo de Agboville (Costa do Marfim) Dom Alexis Touably Youlo foi eleito como o novo Presidente da Conferência.

Denunciando “alguns indivíduos envolvidos em atos de violência e terrorismo que agravaram o estado de insegurança em nossa região”, os bispos da África Ocidental afirmam que “nossos povos estão famintos, desumanizados e sofrendo; nossos jovens arriscam suas vidas em alto mar para tentar descobrir pastagens mais verdes em países fora do nosso continente. Somos chamados a dar-lhes esperança”.

Por isso, os membros do CEREAO/RECOWA exortam "os políticos cristãos, governantes tradicionais, tecnocratas, profissionais, especialmente os da mídia, empresários e, de fato, todo o nosso povo a viver sua vocação cristã na luta contra a corrupção, o etnocentrismo e todas as formas de injustiça na sociedade”.

O tema da Assembleia Plenária foi: “Todos Irmãos: um caminho para construir a fraternidade e a paz sustentável na África Ocidental”. Nesse sentido, a declaração final afirma que “Irmãos, todos podem nos ajudar em nossa responsabilidade de gerar um governo pastoral eficaz e maior amizade social na África Ocidental e em todo o mundo”. Tomando como exemplo os dois anos da pandemia de coronavírus, os bispos sublinham: “Os últimos dois anos da pandemia de COVID-19 nos fizeram reconhecer que somos todos uma família. A pandemia abriu nossos olhos para o fato de que não podemos enfrentar nossos problemas sozinhos ou isolados. Portanto, devemos nos preservar da cultura da indiferença e do individualismo. Devemos sempre nos unir em solidariedade para trabalhar pelo bem comum”.

A CEREAO/RECOWA é composta pelos bispos de 16 países da África Ocidental: Benin, Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné Bissau, Libéria, Mali, Mauritânia, Nigéria, Níger, Senegal, Serra Leoa e Togo

Deixe uma resposta

1 × um =