Padre Valdir Silveira é escolhido como o representante da América Latina na Comissão Mundial de Pastoral Penitenciária Católica

A Comissão Mundial de Pastoral Penitenciária Católica (ICCPPC) realizou assembleia eletiva entre os dias 7 e 11 de fevereiro, no Panamá.

Por Assessoria de Comunicação da Pastoral Carcerária Nacional

Na oportunidade, foi reeleito para o cargo de presidente da ICCPPC, para um mandato de quatro anos, o Padre Brian Gowans, da Escócia, que terá como vice o Padre Jorge Garcia Cuerva, da Argentina, até então representante da Comissão na América Latina.

Padre Valdir 2Por conta disso, o Padre Valdir João Silveira, coordenador nacional da Pastoral Carcerária, foi escolhido como representante da ICCPPC na América Latina. Na eleição, os representantes dos países indicaram os nomes daqueles que os representam em âmbito continental.

“Indicamos o teu nome pelo testemunho de compromisso que dás, pelo teu poder de articulação, liderança, comunicação, por ser uma autoridade moral no assunto carcerário e porque vive uma situação emblemática. É uma oportunidade de somar forças e matizar o que está acontecendo no Brasil agora”, consta no comunicado enviado pela presidência da ICCPPC ao Padre Valdir.

Sem desligar-se das atuais funções de coordenador nacional da Pastoral Carcerária, Padre Valdir representará a América Latina em reuniões ordinárias e extraordinárias da ICCPPC pelos próximos quatro anos.

Padre Valdir afirma que sua principal meta na nova função é “levar a Pastoral Carcerária da América do Sul a ter uma posição mais profética diante do desafio prisional e assumir as urgentes pautas para combater o grande encarceramento vigente”.

SOBRE O ICCPPC

Com o propósito de que a Igreja em todo o mundo tenha uma maior consciência e sensibilidade para os problemas das pessoas nas prisões, a Comissão Mundial de Pastoral Penitenciária Católica (ICCPPC) estimula a criação e incentiva o crescimento da Pastoral Carcerária nos países, juntamente com a respectiva conferência episcopal em cada nação e com o bispo local, que oferece o apoio necessário.

A ICCPPC está vinculada à Congregação para o Clero da Igreja Católica Apostólica Romana, que aprova os nomes dos indicados a presidente e vice-presidente da Comissão e dá respaldo às ações dos representantes continentais. O estatuto da ICCPPC também é aprovado pelo Vaticano.

Além disso, por ser uma ONG com “status consultivo especial”, a ICCPPC envia representantes para as Nações Unidas. Há também contatos com outros movimentos e organizações que administram as pessoas nas prisões.

Deixe uma resposta

dez + doze =