Dois anos sem dom Servilio Conti

Há exatos dois anos, em 14 de setembro de 2014, dom Servilio partia para o Pai.

Por Redação

Há exatos dois anos, dia 14 de setembro de 2014, falecia dom Servilio Conti, imc, bispo emérito de Boa Vista (RR). O bispo tinha 97 anos de idade, 73 de profissão religiosa, 70 de ordenação sacerdotal e 46 de bispo.

domservilio2Em 19 de outubro de 2013, ao celebrar missa de ação de graças pelos seus 97 anos, dom Servílio, assim se expressou: "agradeço, em primeiro lugar, a Deus por tantos benefícios e graças que me concedeu ao longo destes meus mais de noventa anos de idade e também o Instituto da Consolata por tantas oportunidades que me deu para ser missionário. Quando entrei na comunidade em 1933 fui muito bem recebido. Eu tinha lido a revista Missioni Consolata e a partir daí decidi escrever para Turim (Norte da Itália). O superior daquele tempo, depois de ter consultado o meu pároco, me respondeu que podia, sim, entrar. Fiz a mala e fui para Turim onde não conhecia ninguém. O superior me recebeu e quando lhe falei que meu desejo era o de ser irmão missionário, ele me disse que era melhor começar a estudar e depois se veria. Tinha 17 anos e aos poucos comecei a gostar de estudar", explicou.

Biografia
Filho de Gaetano e de Maria Azzola, Servílio Conti nasceu em Vertova, Bergamo, na Itália, no dia 19 de outubro de 1916. Em 1933 ingressou no Instituto Missionários da Consolata, fazendo os estudos básicos em sua cidade natal e nos seminários de Fávria, Varallo e Certosa di Pésio. Em 1939 entrou no Noviciado, em Rosignano Monferrato. Fez a Profissão Religiosa temporária a 2 de outubro de 1940 e a Profissão Religiosa perpétua a 2 de outubro de 1943. Estudou Teologia em Roma, no Ateneu de Propaganda Fide, de 1940 a 1944, licenciando-se em Teologia. Foi ordenado sacerdote no dia 8 de abril de 1944, em Roma. Após a ordenação sacerdotal trabalhou alguns anos no seminário de Certosa di Pésio, na Itália.

Dom Servílio chegou ao Brasil no dia 1º de janeiro de 1950, sendo logo destinado como Professor no então Seminário Filosófico e Teológico "Santa Teresinha do Menino Jesus", em São Manuel, onde lecionou Teologia Moral, Direito Canônico e Patrologia. Ao mesmo tempo, exerceu intenso trabalho pastoral na paróquia local, na Matriz e nas capelas rurais de então.

Desde 1959 ao início de 1963 esteve em Aparecida de São Manuel, como Mestre de Noviços e encarregado da assistência religiosa do Santuário local.

De março de 1963 ao início de 1964 exerceu os cargos de Superior da Comunidade IMC e Pároco da Paróquia "Nossa Senhora da Salete", em Erechim, no Rio Grande do Sul.

Em fevereiro de 1964 foi destinado à então Prelazia de Roraima, no extremo norte da Amazônia, onde trabalhou até 1975, desempenhando os seguintes cargos: Superior da Delegação dos Missionários da Consolata em Roraima, Vigário de Boa Vista (RR) Prelado Nullius de Roraima.

Foi consagrado Bispo de Roraima no dia 5 de maio de 1968, em Bergamo, Itália. Em 1976 a Santa Sé o transferiu para Santa Maria, no Rio Grande do Sul, designando-o bispo Auxiliar e Vigário Geral daquela importante diocese, missão que desempenhou durante 21 anos, de junho de 1976 a abril de 1997.

Apesar da idade, ao concluir seu trabalho em Santa Maria, não se aposentou. Procurou serviço em Aparecida de São Manuel (SP), onde por anos foi Administrador do Santuário.

Em 1974 escreveu o livro "O Santo do Dia", um relato resumido da vida dos santos venerados pela Igreja Católica ao longo do ano, obra volumosa e valiosa, que já conta com mais de 10 edições.

Em maio de 2010, pegou a sacola, as poucas roupas, calçou o velho sapato e partiu para sua pátria. Para surpresa de muitos, no início de julho de 2011, voltou ao Brasil e se estabeleceu mais uma vez no distrito de Aparecida de São Manual no pequeno Santuário de Nossa Senhora Aparecida.

Nos últimos anos, com a saúde debilitada, se transferiu para a enfermaria da Casa Regional do IMC em São Paulo onde recebeu todos os cuidados e onde permaneceu até sua morte, em 2014.

TagsMorte

Deixe uma resposta

18 − 17 =