JMJ no ar - Despedida e Conclusão da Semana Missionária em São Paulo - 21 de julho

Rosa Clara Franzoi

Nós da coordenação nos olhávamos e nos perguntávamos: a SEMANA MISSIONÁRIA JÁ ACABOU? Realmente, as atividades foram tão intensas que não se viu o tempo passar.

Os jovens peregrinos precisavam mesmo de um pouco de tempo para si mesmos; assim no domingo, dia 21 eles puderam curtir os seus hospedeiros e os hospedeiros os seus hóspedes, pensar em arrumar as malas para o Rio e despedir-se dos muitos amigos que fizeram na semana que terminava...

Na parte da manhã, houve a Missa de Despedida e Envio nas quatro paróquias onde as famílias acolheram peregrinos: Santo Antônio dos Bancários, Nossa Senhora Consolata do Jardim São Bento, Comunidade São Marcos e Centro Comunitário Nossa Senhora Aparecida.

As celebrações foram preparadas pelas Equipes de Liturgia de cada Comunidade e de várias maneiras foram dadas graças a Deus pelo evento da ‘Semana Missionária', pela participação dos jovens, pelos voluntários que em grande número se revezaram no acompanhamento deles e nos diversos trabalhos exigidos pelo megaevento. Um agradecimento especial às famílias que acolheram um, dois e até três jovens. Percebia-se que os peregrinos se sentiram em casa e os hospedeiros viram nisso uma grande graça de Deus. Com a visita, eles se sentiram abençoados por Deus. Ao término da missa, todos os que quiseram puderam expressar seus sentimentos, seus agradecimentos, sua avaliação e seus testemunhos...

O que mais se ouviu foram expressões de alegria por ter podido estar presente na ‘Semana Missionária'; pela oportunidade do conhecer outros jovens de outros países, animados e comprometidos com Jesus Cristo... Foi um forte testemunho para todos, alguns comprometedores: "vamos levar daqui uma riqueza muito grande que queremos partilhar com os jovens que ficaram em nossas comunidades..." "Encontramos aqui um aumento de fé e nos convencemos de que podemos ser jovens alegres, e ao mesmo tempo estarmos unidos à Igreja de Jesus e ajudá-la a manter-se jovem e missionária".

Muito gratificante foi para nós da coordenação, ouvir que tudo o que foi desenvolvido ao longo da semana foi aproveitado, assimilado. Temos certeza que haverá mudanças na vida desses jovens.

Terminada esta parte, cada jovem peregrino foi almoçar na casa do seu hospedeiro. Tiveram tempo livre até as 16h00 quando se encontraram ainda no Centro José Allamano - Castelinho - para os últimos preparativos antes da partida. Haja espaço para malinhas, malinhas e mochilas...!

Ao trazê-los de volta ao Centro Missionário, os hospedeiros foram convidados a permanecerem ali com seus hóspedes, pois iria acontecer a troca de lembrancinhas (amigo secreto). Esta foi uma verdadeira e linda bagunça: como descobrir quem era a pessoa à qual pertencia o nome sorteado? Mas, como sempre, de um jeito ou de outro, eles se encontraram. Qual foi o segredo? Um ajudando o outro...

Como encerramento deste momento de emoção e lazer, foi entregue a cada peregrino e acompanhante um livrinho, elaborado pela Arquidiocese de São Paulo em parceria com a Prefeitura e a Secretaria de Turismo - um livrinho-lembrança em que constavam os principais pontos turísticos da cidade de São Paulo, descritos em espanhol, inglês, francês e português. Também se não foi possível visitar toda a cidade, com calma, chegando em casa ou na viagem de volta, os peregrinos podem ver um pouco de cultura e do movimento da megalópole São Paulo.

Agora, o mais difícil: a despedida. Muito choro, muitas lágrimas, como se hospedeiros e hóspedes tivessem ficado juntos anos e anos... Este é o ‘jeito' do brasileiro que se afeiçoa logo às pessoas. Mas, era preciso partir. A JMJ RIO estava esperando...

Avisos, precauções e orientações, cuidados... tudo faz parte de um protocolo que precede qualquer viagem...
À chegada dos ônibus, aconteceu um pouco de tumulto até se ajeitaram as coisas e às 24h00 do dia 21 de julho os nossos peregrinos deram adeus à cidade de São Paulo e aos que aqui permaneceram. Logo sentiu-se um "grande silêncio e um grande vazio" no Centro Missionário, que por uma ‘Semana' inteira abrigou risos, cantos, danças, preces e vivas...

De nossa parte, só nos resta agradecer e louvar a Deus, que na sua infinita bondade, nos deu a graça de possibilitar a esse grupo de peregrinos (280) de fazer uma experiência de companheirismo, partilha, reflexão e proximidade com jovens de outras partes do mundo. Sem dúvida, todos puderam tocar com as mãos e sentir que, quando há o amor a Jesus Cristo, desaparece qualquer diferença de raça, língua e cultura.

A ideia de fazer uma minicrônica foi para que os que estavam longe pudessem acompanhar e compartilhar conosco o que e como foi a SEMANA MISSIONÁRIA em São Paulo.
Com carinho, Ir. Rosa Clara, MC

Fonte: Rosa Clara Franzoi / Revista Missões

Deixe uma resposta

dezessete + 10 =