Coreia do Sul tem novo Centro de diálogo inter-religioso

Álvaro Pacheco

Uma das atividades que caracterizam a presença dos missionários da Consolata desde a sua chegada em 1988 na Coréia do Sul é o diálogo inter-religioso considerado um dos "areópagos" desta missão. A esta atividade juntam-se a animação missionária e vocacional e o apostolado entre os mais pobres como âmbitos da missão da Congregação na Coreia que já conta com quatro padres coreanos.

Após vários anos de preparação, foi inaugurado em 1999 o "Centro de Consolação" em Okkil-tong, na periferia da cidade de Bucheon (pertencente à diocese de Incheon), dedicado à espiritualidade para o diálogo inter-religioso. "Dado que no país o diálogo inter-religioso é feito a nível das "cúpulas", nós queríamos precisamente criar um centro que formasse católicos da base sobre o tema do diálogo e, ao mesmo, que se promovessem atividades de encontro e partilha a nível dos fiéis de várias religiões", explica o padre Álvaro Pacheco, IMC, português na Coréia. "Um projecto urbanístico do governo obrigou-nos a abandonar o centro de Okkil-tong. Surgiu então o dilema relativo ao novo centro: onde e como construi-lo? Decidimos entrar na diocese de Taejon na localidade de Yusong-Gu, (a 100km a sul da capital Seul) onde, com o dinheiro da compensação, foi-nos possível comprar um terreno". A bênção do terreno teve lugar no dia 5 de março e as obras de construção têm a sua conclusão prevista para o início do mês de Novembro. O novo espaço acolherá também atividades no âmbito da animação missionária e o futuro seminário. Dada a distância do seminário diocesano de Incheon, optou-se por incluir a formação neste novo centro, com estruturas próprias.

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

2 × três =