Comissão de Liturgia propõe linhas de ação para a quadriênio 2015/2019

Por Roseli Lara

Reunidos durante três dias, na sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM) em Brasília, os bispos que integram a Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em unidade com os bispos referenciais dos regionais da Conferência, apresentaram propostas de ação, baseadas nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil (DGAE-2015/2019).

De acordo com Frei Faustino Paludo, assessor da Comissão de Liturgia, as propostas serão levadas ao Conselho Permanente, para serem referendadas em reunião que ocorrerá em outubro. Frei Faustino explicou que as iniciativas vão desde a publicação de novos subsídios sobre a liturgia, em linguagem popular, à organização de um Congresso de Mariologia e Liturgia, tendo em vista a riqueza da religiosidade popular, demonstrada na devoção a Nossa Senhora.

"Em primeiro lugar, pretende-se buscar formação litúrgica, em consonância com a Catequese de Iniciação, além da formação dos futuros diáconos e da organização da Pastoral Litúrgica, nos regionais. Depois os bispos sugerem a publicação de roteiros e subsídios ao alcance do povo e uma liturgia na perspectiva de Igreja em Saída. Também temos uma proposta para realizar em 2017, por ocasião dos 300 anos de Aparecida e 100 anos de Fátima, de um Congresso Nacional de Mariologia e por último, trabalhar o tema da liturgia com a devoção mariana", detalhou Frei Faustino.

Outra proposta evidenciada pelos bispos diz respeito à organização de encontros regionais sobre liturgia para os seminaristas e para músicos e compositores; além da publicação de subsídio, voltado ao Jubileu da Misericórdia e de colaboração com as campanhas da Fraternidade e da Evangelização.

De acordo com o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia, dom Armando Bucciol, as propostas foram indicadas, após avaliação da dimensão litúrgica nos regionais. "O levantamento foi muito interessante, porque vimos que muita coisa bonita está acontecendo, embora os regionais tenham seus desafios, existe uma atividade voltada à formação litúrgica, em todas as dioceses".

Dom Armando ressalta que diante dos desafios, além da formação litúrgica para dos músicos, a Comissão sugere ações voltadas à comunicação e mídia, envolvendo desde a transmissão da celebração eucarística pelos meios, até a comunicação no espaço litúrgico. "Saíram muitas propostas, sobretudo vendo o que podemos realizar com as demais comissões, por exemplo, da comunicação, das vocações e mistérios, da dimensão missionária. Porque é importante juntar forças. Foi muito produtivo. Agora, todo esse trabalho, volta para ser discutido dentro da CNBB, sobretudo no Conselho Permanente e depois também nos 18 regionais'', conclui.

Deixe uma resposta

4 × 5 =