Presidente da CRB Nacional se encontra com Religiosos e Religiosos Brasileiros, em Roma

Arlindo Pereira Dias, SVD em Roma

A Presidente da CRB Nacional, Irmã Márian Ambrósio, se reuniu com Religiosas e Religiosos Brasileiros, no Colégio Pio Brasileiro, em Roma.

O encontro foi marcado por momentos fortes de oração em torno do Natal, de confraternização e partilha das experiências de vida missionária dos Religiosos/as que vivem em missão fora do país e da caminhada da Vida Religiosa no Brasil.

"Irmã Marian destacou a presença maciça das superioras e superiores maiores no Seminário sobre liderança que aconteceu em Itaici, o diálogo entre a direção nacional e a Vida Religiosa Monástica; o projeto de uma Comunidade Inter-congregacional de solidariedade ao Haiti e a reflexão para superar a dicotomia entre Vida Religiosa Inserida e Vida Religiosa Missionária. Irmã Marian destacou, ainda, a importância do trabalho e colaboração com o laicato", relatou padre Arlindo Pereira, svd, Religioso que vive em Roma.

Sobre a questão do laicato os Religiosos puderam fazer memória do encontro de novembro passado que teve como tema "A missão do Laicato a partir do Vaticano II" para o qual contaram com a assessoria do leigo brasileiro, Silvonei José que vive em Roma e trabalha na Rádio Vaticana como locutor.

Em Roma, Irmã Márian encontrou-se também com o Prefeito da Sagrada Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, o ex-arcebispo de Brasília, Brasil, Dom João Braz de Aviz para tratar de assuntos afins, sobre os quais ela destaca em entrevista concedida aos Religiosos:

1.Que avaliação a senhora faz da caminhada da CRB no ano 2011?
Ir. Marian: O ano de 2011 foi muito abençoado para a CRB. Quando olhamos desde o nosso coração, sentimos Deus mais presente, e a comunhão entre nós também mais presente. Várias das soluções e encaminhamentos que no ano anterior foram mais administrativos, fizeram de 2011 um ano mais abençoado. Gosto de citar alguns processos fortes e expressivos que nos encaminham para um dia de amanhã mais consistente. Um deles foi o Seminário que realizamos para os Superiores e Superioras maiores em Itaici com o objetivo de despertar nas lideranças da Vida Religiosa, o desejo de buscar o sentido mais profundo da Vida Consagrada. Outro, foi a tentativa de superar a dicotomia entre a Vida Religiosa Inserida e a Vida Religiosa Missionária. Existe um chão missionário onde todos os projetos encontram lugar. Por ultimo, destaco o vínculo novo que está nascendo entre a CRB Nacional e a Vida Religiosa Monástica e Contemplativa, lugar de expressão das nossas raízes em Deus.

2.Qual o objetivo deste encontro com o Prefeito da Sagrada Congregação para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada?
Ir. Marian: O encontro é o resultado de um diálogo permanente entre a CRB e a Congregação para os Religiosos em Roma. A CRB tem um histórico de visitas e de diálogo mútuo, que nos últimos anos tem se dedicado a questões temáticas. Nós entramos em constante dialogo com a Congregação, pedindo encaminhamentos e propondo dinâmicas. Estamos felizes com a capacidade de escuta de Dom João Braz de Aviz que expressa alegria em ouvir a Vida Religiosa. Dois temas afloraram neste momento: um deles é a questão das novas comunidades, as novas formas de Vida Consagrada com as quais a CRB enfrenta uma real dificuldade. Nós acompanhamos, mas chega momento em que a Igreja Hierárquica, os Bispos devem assumir a responsabilidade, tomar a decisão de aprovar ou não. O outro tema foi um convite expresso a D. João para participar do encontro sobre a Vida Monástica e Contemplativa que acontece em junho de 2012, na cidade de Aparecida, Brasil. Nós queremos muito que a Vida Monástica e Contemplativa se integre de forma plena e dinâmica como protagonista na CRB Nacional.

3.Porque a presidente da CRB no Brasil decidiu passar o Natal no Haiti?
Ir. Marian: Que pergunta bonita, muito obrigada! Acho que foi meu coração que falou. Eu tenho um compromisso concreto com a vida religiosa do Haiti que é a orientação do retiro anual para a vida missionária brasileira que se encontra lá, principalmente a Comunidade que é mantida e orientada pela CRB Nacional (...). Eu já vivi no exterior, sei o tamanho da saudade, o que significa o Natal em meio à pobreza, eu sei que em vez de presente a gente pode dar um abraço. Pra mim foi muito significativo imaginar que eu posso levar comigo as 31.485 Religiosas e Religiosos brasileiros. Poder dizer: estamos todos aqui junto com a Igreja do Haiti, com a população empobrecida e machucada, para ajudar a carregar no colo a dor de um povo. Será uma alegria muito grande.

Fonte: Arlindo Pereira Dias / Revista Missões

Deixe uma resposta

13 + doze =