A celebração no Quênia dos 100 anos das Missionárias da Consolata

Fides

"É verdade que, como Missionárias da Consolata, vocês viveram o desejo de seu fundador: proclamar o amor de Deus" - afirmou Dom Peter Kairo, arcebispo de Nyeri (Quênia), ao festejar os 100 anos da presença das Missionárias da Consolata, em Mathari, Nyeri, no dia 30 de janeiro. Segundo a Agência CISA de Nairóbi, cerca de cinco mil fiéis participaram da missa de Ação de graças.

Dom Kairo reiterou que o amor de Deus impulsionou as religiosas a deixar seus países e ir ao Quênia para se colocar a serviço dos outros. O arcebispo de Nyeri citou o exemplo de irmã Irene Stefani, "Nyaatha", cuja sepultura foi abençoada antes da missa, sublinhando a sua dedicação "de levar conforto aos doentes, não somente de Nyeri, mas também da paróquia de Gikondi onde morreu". Dom Kairo citou como, exemplo vivo, Irmã Graziella Paladin, 81 anos, que trabalha ainda servindo os detentos do cárcere local.

A Irmã Jacinta Theuri, Superiora regional das Missionárias da Consolata no Quênia, em sua intervenção definiu a celebração jubilar "um evento especial que marca o nosso renascimento, é um novo início. Viemos 100 anos atrás, hoje estamos aqui e queremos olhar adiante para mais 100 anos. Se Missionárias da Consolata não significa ser uma irmã, um sacerdote o um irmão, significa ser uma pessoa que experimentou o amor de Cristo profundamente em sua vida".

Irmã Jacinta acolheu a ocasião, em nome de todos os padres, irmãos e irmãs da Consolata, para pedir perdão a quem sofreu de qualquer modo por algo feito pelos Missionários da Consolata. "Pedimos perdão porque queremos recomeçar um novo século com esta palavra de perdão. Penso que quando aprendemos a perdoar, nós nos tornamos verdadeiros portadores de consolação".

Na cerimônia estava presente a Prêmio Nobel da Paz, a professora Wangari Maathai, que estudou com as Irmãs da Consolata. "A minha missão na vida é recordar às pessoas que fazemos parte do ambiente. A missão dos Missionários da Consolata é consolar e nos reconciliar com o ambiente".

As Missionárias da Consolata são uma congregação internacional fundada em 29 de janeiro de 1910 em Turim pelo bem-aventurado Giuseppe Allamano (dez anos depois os Missionários da Consolata). Desde 1913 estão presente no Quênia. Hoje a Congregação é composta por 746 membros, presentes em todo o mundo dos quais 700 professas, 38 junioras e 8 noviças. No Quênia a Congregação tem 80 irmãs que trabalham em sete dioceses: Mombasa, Nyeri, Marsabit, Maralal, Embu, Meru e Nairobi.

Fonte: www.fides.org

Deixe uma resposta

11 − 11 =