Páscoa: Passagem

Maria Regina Canhos Vicentin *

A Páscoa do Senhor se aproxima, e com ela a oportunidade de transformação de tudo o que é velho e superado em nossa vida. Tantos arrastam inúmeras expectativas, desejos não realizados, sonhos desfeitos... Vamos aproveitar a páscoa para imprimir um novo significado em nossa vida. Quando Jesus desfigurado pendia no madeiro, pior morte da época destinada apenas aos piores criminosos, Ele levou consigo todos os pecados da humanidade, reservando para nós a possibilidade da redenção. Muitos, entretanto, insistem em carregar seus males diuturnamente, sofrendo e fazendo sofrer, deixando de aproveitar as constantes oportunidades de vida nova. Basta notar que o homem se violenta ao praticar o mal, pois foi criado à imagem e semelhança de Deus e, portanto, para a prática do bem.

A cada erro, intencional ou não, as consequências nos fazem refletir e verificar que, muitas vezes, estamos longe daquilo que gostaríamos, pois vamos encontrar verdadeira satisfação somente quando realizarmos o plano do Salvador em nós. E qual é ele? Que amemos a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos. Não é fazendo o mal que iremos de encontro ao planejado pelo Senhor para nós. No entanto, é só isso que se vê de uns tempos para cá. Cada qual buscando assegurar vantagens para si, nem que para isso necessite pisar na garganta do seu irmão de caminhada. Isso é abominável, e nos afasta cada vez mais do proposto pelo nosso Criador.

Veja, é Páscoa! É Passagem para uma vida nova. Faça uma revisão em sua vida. Avalie se realmente está se sentindo satisfeito sendo ganancioso, corrupto, cruel, avarento, desonesto, belicoso... O Senhor não o fez para essas coisas. Ele o criou para outra realidade. Uma realidade de amor, esperança, compaixão, auxílio-mútuo, solidariedade, comunidade... Enquanto vivermos afastados do ideal proposto por Deus para nós, haverá muito choro e lamentações. Quem melhor do que o Criador para nos apontar o caminho que devemos seguir? No entanto, insistimos em nos guiar pelos instintos, deixando de lado nossa precisa intuição quanto a mudar de vida e seguir um caminho de amor e paz.

Não há como ser feliz sozinho. Não há como ser feliz à custa da infelicidade do outro. Somos criaturas e dependemos do nosso Criador. O que nos faz crer que sobreviveremos com regras próprias? Como viver afastado da fonte geradora, do responsável pela nossa existência, pela nossa vida? Sem dúvida alguma é hora de Páscoa-Passagem. Momento de reflexão, momento de transformação, momento de ressurreição. Vamos deixar o homem velho para trás. Vamos abraçar novos ideais de vida e fraternidade. Trabalhemos hoje para desfrutarmos amanhã. E uma Feliz Páscoa-Passagem para todos!

* Maria Regina Canhos Vicentin (e.mail: contato@mariaregina.com.br) é psicóloga e escritora.

Fonte: Maria Regina Canhos Vicentin

 

Deixe uma resposta

11 − 10 =