A Igreja em Discipulado Missionário

Jaime C. Patias *

Rumo ao CAM 3 Comla 8

Em 1999, na 6ª edição do Congresso Missionário Latino-Americano - Comla 6, na cidade de Paraná, Argentina, a pedido do Papa João Paulo II, se constituiu o 1º Congresso Missionário Americano - CAM 1. O objetivo era tornar efetiva a integração da Igreja no continente como fruto da Exortação Apostólica Eclesia in América. Por isso, pela primeira vez participaram do evento as delegações dos Estados Unidos e Canadá.

Os Congressos Missionários foram importantes neste processo e nasceram do amadurecimento da fé da Igreja e sua conseqüente prática missionária. A reflexão missionária moderna nas Américas tem seu desabrochar nos anos 60 do século passado, a partir de dois fatores: o despertar da vocação missionária no continente e as orientações do Concílio Vaticano II, principalmente do Decreto Ad Gentes afirmando que a Igreja peregrina é missionária por natureza.

Historicamente o objetivo dos Congressos foi estimular, educar e celebrar o compromisso dos fiéis com a missão universal da Igreja, ou seja, Ad Gentes, ou atividades missionárias no sentido específico para diferenciar da atenção pastoral ordinária nas Igrejas. Essa reflexão trouxe avanços significativos na consciência missionária do continente, influenciando até mesmo a V Conferência do CELAM, realizada em Aparecida, SP, em maio de 2007, que coloca a Igreja em estado permanente de Missão.

CAM 3 - Comla 8
O tema do 3º Congresso Missionário Americano e 8º Congresso Missionário Latino-Americano (CAM 3 - Comla 8) a ser realizado em Quito, Equador, de 12 a 17 de agosto é: "A Igreja em discipulado missionário", e o lema: "América com Cristo: escuta, aprende e anuncia".

O Instrumento de Trabalho do Congresso nos impele a redescobrir o valor fundamental da ação da Igreja: "A Missão é para o Reino de Deus e para a humanidade inteira e seu futuro. Como a Igreja, a Missão é convocada dentre toda a humanidade e posta para toda ela; está marcada indelevelmente de universalidade..." (n.189). Ao refletir sobre esse horizonte universal, o Congresso faz memória do legado da Constituição Pastoral Gaudium et Spes, do Concílio Vaticano II, procurando ver e sentir o mundo, família humana universal, com os olhos e o coração cheios de compaixão de Deus. A temática encontra-se organizada em três eixos: Discipulado, Pentecostes e Evangelização, que devem orientar a missão da Igreja para a humanidade.

DISCIPULADO - comunidade discípula de Jesus
O Deus da Vida faz-se presente em Jesus de Nazaré que sai de si mesmo para ir ao encontro da humanidade. "Jesus anuncia o Evangelho da libertação e da graça, como boa notícia aos pobres" (n.67). Ele começa sua missão chamando vários discípulos que devem assumir as atitudes do Mestre, seu modo de ser e relacionar-se com Deus e com o próximo.

Entre outras coisas, ser discípulo é estar numa contínua atitude de escuta e aprendizado sobre Jesus. Jesus, o enviado do Pai, envia pelo Espírito os Seus discípulos a proclamar a Boa Notícia do Reino. "Como o Pai me enviou, também eu vos envio". Dito isto soprou sobre eles e disse-lhes: "Recebam o Espírito Santo". Os discípulos formavam então pequenas comunidades. A Missão é inseparável do discipulado. Deu-se então, um forte movimento missionário que continua até hoje.

PENTECOSTES - comunidade guiada pelo Espírito
O Espírito Santo esteve presente na criação do mundo e quando chegou a Plenitude dos Tempos, foi derramado em Pentecostes para todos os povos, línguas e nações. O Espírito Santo conduz a vida de Jesus, na anunciação, encarnação, no batismo, no discernimento, durante sua vida pública... O mesmo Espírito forma discípulos missionários na comunidade. Deixar-se levar pelo Espírito é acolher o novo chamado missionário da Igreja atual. É atrever-se a estar em todos os espaços da nossa sociedade.

Deixar-se levar pelo Espírito é amar apaixonadamente Jesus e amar todos os seres humanos, em especial, os que sofrem, os excluídos. É também abrir-nos a todas as religiões e culturas nas quais o Espírito está atuando por caminhos desconhecidos por nós. Guiados pelo Espírito, encontramo-nos em Missão.

Em virtude do dom do Espírito, Maria, presente em Pentecostes com os apóstolos, chegou a ser modelo e imagem do povo, que ao receber a Palavra e o Espírito converte-se em Igreja discípula missionária. O Espírito leva-nos a uma experiência de Cristo Jesus que nos permite reconhecer o amor próximo de Deus Pai. O Espírito é que nos faz ter a certeza do amor de Deus em nossas vidas. E este amor é que nos converte em apaixonadas testemunhas convencidas de que esta experiência é o que todos necessitam para encontrar o verdadeiro sentido de suas vidas.

EVANGELIZAÇÃO - comunidade missionária para a humanidade
A Igreja precisa evangelizar, mas também, ela tem que se evangelizar. Daí o lema do CAM 3 - Comla 8: América com Cristo, escuta, aprende e anuncia. A Igreja procura compreender e interpretar a situação atual do mundo em seus aspectos preocupantes de pobreza e exclusão. Ao se deixar interpelar pela realidade na qual está inserida, a missão trata de reconhecer toda pessoa como sujeito de direitos e deveres. A missão anima sempre o caminho para a transcendência. Descobre o sentido espiritual e humanitário na participação política, na vida econômica, em tudo que possa possibilitar à pessoa a construção do Reino de Deus. A essência da raiz missionária está em Jesus. E para anunciá-lo com fé, as comunidades devem viver a Eucaristia, vivenciar a partilha e a partir desta espiritualidade da comunhão, anunciar Cristo ao mundo.

Movida pelo Espírito Santo, que é o protagonista da missão a comunidade cristã missionária escuta, aprende, segue o Mestre, arrisca, abre caminho, prepara os movimentos e ministérios para que o Evangelho seja anunciado. Hoje, a missão Ad Gentes é equivalente à missão para a humanidade toda.

Em suma, o CAM - 3 Comla 8 vislumbra uma Igreja comunidade discípula de Jesus, guiada pelo Espírito e missionária para a humanidade. Nela os cristãos procuram ter as mesmas atitudes de Jesus, que via as dores do povo e sentia compaixão. A comunidade que foi enviada por Jesus e foi entusiasmada por seu Espírito protagonista da Missão, anuncia o Reino de Deus a todos os povos. A Evangelização dirige-se à sociedade e às culturas, à própria Igreja e ao mundo enquanto casa comum.

* Jaime Carlos Patias, imc, diretor da revista Missões, mestre em Comunicação, membro da imprensa missionária do Brasil no CAM 3-Comla 8.

Deixe uma resposta

15 + 17 =