Seguindo a tradição bíblica, o presidente da CNBB e do CELAM reforçou na CEAMA a importância de escutar o Bioma Amazônico

Dom-Jaime-CEAMA

A abertura da primeira Assembleia ordinária da Conferência Eclesial da Amazônia (CEAMA), que acontece em Manaus (MA), na terça-feira, 8 de agosto, coincidiu com os três anos da páscoa de dom Pedro Casaldáliga e com o aniversário de nascimento do cardeal Cláudio Hummes, primeiro presidente do organismo. Neste sentido, no início do encontro foi feita memória destes dois bispos da Igreja no Brasil destacando o seu compromisso com o bioma e também com os povos indígenas.

O arcebispo de Porto Alegre (RS), presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e do Conselho Episcopal Latino-Americano e Caribenho (CELAM), dom Jaime Spengler reafirmou, na abertura da assembleia, a importância de fazer memória daqueles que, por seu compromisso com os pobres, inspiram a caminhada da Igreja.

Dom Jaime destacou ainda, sobre a primeira Assembleia da CEAMA, que trata-se de um “momento forte de comunhão e de compartilhamento de experiências”, que acentua a “necessidade de escutar”, como um movimento espiritual que faz parte da tradição bíblica: “Escuta Israel! Escuta a Amazônia e seus povos! Escuta a Igreja presente nesta porção de terra e escuta do Senhor”.

O presidente da CNBB disse que a partir destas escutas é possível construir caminhos para que a presença da Igreja na Amazônia possa promover vida e vida em abundância para todos, incluindo os diversos ecossistemas que fazem parte do bioma pan-amazônico”.

O itinerário da Assembleia

“Discernir sobre os caminhos da CEAMA” e por onde ela transitará nos próximos anos será uma das prioridades da primeira assembleia do organismo. Para isto, “o primeiro dia será dedicado a criar o sentido de unidade e fortalecimento de um corpo eclesial para missão.

Grupo de trabalho no primeiro dia da Assembleia.

Grupo de trabalho no primeiro dia da Assembleia.

Assim explicou o vice-presidente do organismo, Mauricio López Oropeza, apontando ainda que o segundo dia será dedicado a “recorrer, com memória agradecida, o caminho feito até agora, o caminho da Igreja, da Rede Eclesial Pan-Amazônia, o Sínodo sobre a Amazônia até chegar à constituição da CEAMA”, disse.

“No terceiro dia, estaremos trabalhando as linhas de evangelização que esta Assembleia definirá para a CEAMA”, continou Lopez. No quarto dia, ele reforçou que serão definidos “quais são os passos concretos e como vamos nos organizar, nos diferentes países e como membros da mesma Conferência”, apontou.

Composição da Presidência da CEAMA

Cabe reforçar que a primeira jornada da Assembleia também se estabeleceram os procedimentos jurídicos para viabilizar a composição da presidência da CEAMA, segundo os Estatutos que foram aprovados em outubro de 2022. Neste sentido, a coordenação da CEAMA explicou que foi ratificada a inclusão de Patrícia Gualinga, representante do povo originário Sarayaku, do Vicariato de Puyo, no Ecuador, e de Laura Vicuña Manso, do povo originário de Tiriri, de Porto Velho (RO), no Brasil, como vice-presidentas da CEAMA.

O arcebispo de Manaus (AM), cardeal Leonardo Steiner, que também integra a vice-presidência do organismo, expressou sua vontade de deixar esta função para permitir que a Assembleia eleja um representante sacerdote ou diácono para a mesma função, uma vez que o presidente do organismo, o arcebispo de Huancayo (Peru), exerce a função representando os bispos.  A eleição terá lugar no próximo dia 10 de agosto.

Confira o vídeo com o cardeal Micahel Czerny, presente na Assembleia da CEAMA:

Com informações e fotos: adn.celam.or

Deixe uma resposta

dezenove + 17 =