CNBB lança nova edição do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil

Edição atualizada responde aos anseios das transformações no campo da comunicação e explicita o que a Igreja compreende como Pastoral da Comunicação: um processo dinâmico, dialógico, interativo e multidirecional.

Por CNBB

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança, por meio de sua Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, a quarta edição do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil. O lançamento foi realizado na terça-feira, 16 de maio, no primeiro dia de atividades da Semana de Comunicação 2023, organizada em torno da reflexão sobre da mensagem para o 57º Dia Mundial das Comunicações Sociais, lançada pelo Papa Francisco em 24 de janeiro deste ano com o tema “Falar com o coração. ‘Testemunhando a verdade no amor’ (cf. Ef 4,15)”.

Novo-diretorio-capaO bispo da diocese de Campo Limpo (SP) e novo presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB, dom Valdir José de Castro, dirigiu uma fala inicial aos participantes na abertura da semana. Na sequência houve lugar um momento de oração e o lançamento da edição atualizada do documento 99 da CNBB, o Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil.

Os membros do Grupo de Reflexão sobre Comunicação (Grecom), que foram responsáveis pela revisão e atualização do texto, participaram deste momento. São integrantes do Grecom os pesquisadores Andréia Gripp, Joana Puntel, Moisés Sbardelotto, Aline Amaro, Marcus Tullius, Mozahir Salomão Bruck, Ricardo Alvarenga, além dos assessores e bispos membros da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB.

Linguagem inclusiva, conciliar e sinodal
Segundo o professor Moisés Sbardelotto, coordenador do Grecom e professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC) Minas, passaram-se 10 anos, desde 2014, quando a última edição do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil foi aprovada e lançada como documento da CNBB de nº 99.

Sobre a necessidade de atualização do Diretório, o professor disse que após 10 anos muita coisa evoluiu no campo da comunicação e também na Igreja. Ele explicou que foram também incorporadas, no texto, as contribuições do magistério do Papa Francisco ao documento. O professor pontuou ainda que o próprio processo de renovação do documento seguiu uma inspiração sinodal.

Moisés explicou que foi feita a releitura de cada um dos capítulos com apontamento de questões que precisavam ser atualizadas, incluindo a evolução no campo da comunicação, sobretudo a digital, com enfoques ao processo de “desinformação” e infodemia em curso no mundo. Buscou-se, segundo ele, um texto acessível para o contexto e a compreensão de todo o povo de Deus, com linguagem mais inclusiva, conciliar e sinodal. Dos 261 parágrafos, o diretório passou a ter 352 parágrafos.

A introdução do documento faz o seguinte destaque: “Chamada a evangelizar e, ciente de que evangelizar é comunicar, a Igreja no Brasil tem, neste Documento da CNBB 99, a principal referência do seu pensamento comunicacional e da sua contribuição para a sociedade. Esta edição atualizada do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil responde aos anseios das transformações no campo da comunicação e explicita o que a Igreja compreende como Pastoral da Comunicação: um processo dinâmico, dialógico, interativo e multidirecional. Esta nova atualização, trabalho da Comissão Episcopal para a Comunicação Social, reconhece os avanços culturais e tecnológicos desde a última edição e incorpora as contribuições do Papa Francisco com a proposta da Igreja missionária em saída permanente”.

Como adquirir?
A nova edição do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil está à venda pelo site das Edições CNBB.

Deixe uma resposta

cinco × cinco =