Religiosa morta em ataque terrorista em Chipene, Moçambique

Um ataque terrorista que aconteceu na noite de 6-7 de setembro à Missão Católica de Chipene, Província de Nampula, Diocese de Nacala, vitimou a irmã Maria De Coppi, missionária comboniana, italiana, de 83 anos de idade. Os terroristas atiraram-lhe à cabeça e faleceu instantaneamente - afirma o Arcebispo de Nampula, D. Inácio Saúre.

Dulce Araújo - Vatican News

Na Província de Nampula, o clima é de muito pesar, medo e incerteza, pois os terroristas que já a semana passada atacaram em Odinepa (queimando casas e provocando a dispersão da população) e ontem na Missão Católica de Chipene, levando à morte a Irmã Maria De Coppi, podem atacar outras localidades da Arquidiocese - sublinha em entrevista telefónica, realizada por Sheila Pires da Rádio Veritas, a partir de Joanesburgo, Dom Inácio Saúre.

O prelado informou ainda que a religiosa italiana poderá ser enterrada esta quinta-feira em Carapira e não em Chipene, como se previa inicialmente. Membros da Congregação da Irmã Maria já foram recuperar o corpo.

Irmã Maria De Coppi, missionária comboniana em moçambique desde 1963.

Irmã Maria De Coppi, missionária comboniana em moçambique desde 1963.

O pessoal missionário, assim como o povo, não dispõe de nenhuma proteção especial - sublinha o arcebispo solicitado pela jornalista.  Há que tomar medidas para a proteção de todos e combater o mal pela raiz para que não aconteça como em Cabo Delgado, onde os terroristas atuaram, passaram depois para Niassa e agora à Província de Nampula - adverte o Arcebispo que apela o povo para ter todo o cuidado possível e a comunidade internacional para que apoie esse povo sofrido e ajude a identificar as causas profundas deste mal e a encontrar soluções eficazes.

Dom Inácio Saúre faz saber ainda que nas próximas horas, os Bispos da área eclesiástica de Nampula poderão vir a publicar um comunicado acerca do ocorrido nessa Província.

Funeral no dia 9 em Carapira

Entretanto, as Irmãs Missionárias Combonianas, num comunicado assinado pela Irmã Laura Malnati, Superiora Provincial,  anunciam que o funeral da irmã Maria De Coppi terá lugar no dia 9 de setembro, na Paróquia do Imaculado Coração de Maria de Carapira, mais conhecida como Missão de Carapira, pelas 9h30. As cerimónias fúnebres serão presididas por Dom Alberto Vera, Bispo de Nacala.

A irmã Maria De Coppi tinha 83 anos e viveu os últimos 59 anos em Moçambique, onde chegou, pela primeira vez, em 1963. Ela passou por várias missões: Anchilo, Meconta, Alua, Balama e Chipene, onde esteve a trabalhar na pastoral paroquial,  dedicando-se, particularmente, à formação das mulheres. Segundo o comunicado, uma vez ela disse:

“Procuro estar perto das pessoas sobretudo ouvindo o que me dizem. Apesar da pobreza material, ouvir os outros continua sendo um grande dom, é reconhecer a sua dignidade.”

No comunicado, as Missionárias agradecem, desde já, a todos, pelas orações e sublinham que a Irmã Maria faleceu fazendo "causa comum" - como dizia o fundador, São Daniel Comboni - com todo o povo moçambicano, que é vítima desta guerra terrorista.

Ataque na missão em Chipene, na fronteira com a província de Cabo Delgado.

Ataque na missão em Chipene, na fronteira com a província de Cabo Delgado.

SACBC manifesta solidariedade à CEM e às combonianas

A Conferência Episcopal da África do Sul manifestou a sua solidariedade para com a Conferência Episcopal de Moçambique e para com a Provincial das Irmãs Combonianas pelo triste assassinato da Irmã Maria De Coppi e pela "destruição dos bens com que as Irmãs Combonianas servem os pobres de Nampula."

Em nota difundida no dia 7, a SACBC diz que continuam "preocupados com o padre e outras irmãs que fugiram" e rezam "para que estejam seguros onde estão". "Com crescente preocupação" - escrevem - "notamos os primeiros ataques na província de Nampula (...). De facto, os ataques estão a aproximar-se cada vez mais da cidade Nampula."

Lamentando a morte da Irmã Maria De Coppi, a SACBC sublinha que ela "se junta a muitas outras vidas inocentes que foram brutalmente exterminas por ganância e intolerância à liberdade de crença" e asseguram as suas orações em Jesus "ressurreição e vida."  "Depois de uma vida dedicada aos pobres, a Irmã Maria morreu mártir porque não abandonou os pobres mesmo em tempos tão difíceis. Que ela encontre o abraço do seu Mestre."

Por fim, os Bispos da SACBC escrevem que rezam pelos irmãos e irmãs em Cristo nas Províncias de Nampula e Cabo Delgado e pela conversão daqueles que assassinam inocentes. Que Deus vos proteja a todos - rematam, pedindo ainda ao Senhor para que fortaleça os bispos, sacerdotes e religiosos a fim de que continuem a ser "um sinal de esperança e paz numa situação que se deteriora rapidamente. Somos "um só corpo em Cristo". A vossa dor é a nossa dor. Estamos ao vosso lado em solidariedade e oração incessantes."

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

sete + nove =