Papa condena violência contra cristãos na África

Francisco pede fim destes "crimes vergonhosos", falando sobre Nigéria e República Centro-Africana.

Por Agência Ecclesia

O Papa Francisco condenou hoje no Vaticano o “massacre” que no último domingo provocou pelo menos 13 mortos e dezenas de feridos numa igreja da Nigéria e a violência em curso na República Centro-Africana.

“Fiquei profundamente entristecido pelo massacre que aconteceu no último domingo na Nigéria, dentro de uma igreja, onde foram mortas pessoas inocentes”, disse, perante mais de 7 mil pessoas reunidas na sala Paulo VI, para a audiência pública semanal.

igrejanigeria“Infelizmente”, acrescentou, esta manhã chegaram notícias de “violências homicidas” contra os cristãos na República Centro-Africana.

O ataque à igreja de São Filipe, em Ozubulu, na Nigéria, causou 13 mortos e 26 feridos, tendo na sua origem uma disputa envolvendo o tráfico de droga.

O Papa deixou votos de que cessem “todas as formas de ódio e violência” e não se repitam “crimes tão vergonhosos, perpetrados em locais de culto, onde os fiéis se reúnem para rezar”.

“Pensemos nos nossos irmãos e irmãs da Nigéria, da República Centro-Africana, rezemos todos juntos por eles”, pediu aos participantes na audiência geral, com quem recitou uma Ave Maria.

O bispo de Bangassou, na República Centro-Africana (RCA), deixou nas últimas horas alertas para massacres em curso no país, por parte de milicianos islâmicos.

D. Juan José Aguirre Muñoz, missionário comboniano, alerta para ataques na missão de Gambo, a 75 quilômetros da sede da diocese, onde terão sido “degolados” dezenas de homens e crianças.

O confronto entre as milícias anti-balaka, cristãs, e os seleka, muçulmanos, terão sido agravados pela intervenção de soldados egípcios das forças coordenadas pela ONU, ao permitirem o regresso a Gambo de fundamentalistas islâmicos que deixaram um rastro de destruição.

Deixe uma resposta

9 + nove =