Os dez mandamentos do advogado católico

Ser humilde no falar e, principalmente no escrever.

Por Edson Luiz Sampel

1.º) Ir à missa aos domingos (preceito de direito divino: 3.º mandamento do decálogo).
2.º) à medida do possível, não se esquivar de atender às demandas criminais (preceito de direito divino positivo: Mt 25, 36).
3.º) Auxiliar os pobres, preferidos de Jesus (Lc 4,18), patrocinando-lhes as contendas gratuitamente, à medida do possível.
4.º) Envidar esforços em prol da conciliação entre seu cliente e a outra parte no processo, desde que não se vulnere a justiça comutativa.
5.º) Ser humilde no falar e, principalmente no escrever, a fim de que as pessoas simples consigam compreender as petições, as contestações, os apelos e os pareceres.
6.º) Responder com generosidade às consultas jurídicas de seu bispo ou de seu pároco.
7.º) Todo dia rezar ao menos um Pai Nosso e uma Ave Maria, pedindo a intercessão de santo Ivo (padroeiro dos advogados).
8.º) Rezar ao menos uma Ave Maria ou uma Salve Rainha (“advogada nossa”) imediatamente antes da audiência, requerendo a intercessão de santo Ivo.
9.º) Inscrever-se em associação de advogados ou de juristas católicos.
10.º) Nunca deixar de ser estudante de direito, reciclando-se dia a dia.

Edson Luiz Sampel, advogado, presidente da Comissão Especial de Direito Canônico da OAB-SP; professor do Instituto Superior de Direito Canônico de Londrina; articulista da Revista Missões.

Deixe uma resposta

dezoito + cinco =