Mãe Aparecida, restaura o Brasil e nossas famílias

Em 1978, a imagem de Aparecida foi quebrada em mais de 200 pedaços. Restaurada, continua abençoando seus fiéis e a nação brasileira.

Por Carlos José da Cunha*

Há 300 anos (1717-2017) Deus se compadecia do povo brasileiro que vivia a triste história da escravidão. Como a história de Israel, Deus sempre caminhou com os seus filhos e, neles experimentou o amargor da exploração. Diante de tanta angustia, se compadece e envia Maria a mãe do seu filho Unigênito como sinal restaurador da esperança e fé ao povo, mostrando que ela é a mãe dos povos de todas as raças.

aparecida3Pelas mãos de três pescadores: João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia, Maria é encontrada nas águas do Rio Paraíba do Sul, primeiro o corpo e, em seguida rio abaixo a cabeça. Certamente Deus quis mostrar a nação brasileira que a escravidão é um divisor de comunhão, apenas atrai discórdia, precisa urgentemente reconhecer que todos são irmãos e filhos do mesmo Pai possuidores da mesma dignidade. Na união do corpo e cabeça, Deus devolve a liberdade aos escravos e ao Brasil uma mãe para interceder pela sua gente.

Pelas mãos postas aos céus, ela está convidando seus filhos a plena comunhão com o Pai. Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi declarada por Papa Pio XI Rainha e Padroeira da Nação Brasileira em 1930. Ao longo de todo o tempo, a Senhora Aparecida está sempre pronta a ouvir as preces dos seus filhos que ora pedem ora agradecem a sua intercessão junto a Deus Pai.

Há 40 anos (1978), um jovem chamado Rogério Marcos de Oliveira de 19 anos, quis por fim na venerável imagem da Senhora Aparecida, roubando do seu oratório na então Basílica da cidade de Aparecida. Segundo a história, ao correr pelos corredores assustado, o jovem deixa a imagem cair do qual quebra em mais de duzentos pedaços.

O coração do povo católico começa a entristecer, pois a imagem da Mãe Aparecida, símbolo da fé, do amor de Deus para com os seus filhos fora despedaçada, sem esperança de continuar trocando olhares com aquela bondosa mãe que acolhia, amparava, intercedia, mostrava o Cristo e aconselhava: “fazei tudo o que ele vos disser” (cf. Jo 2,5). Assim também aconteceu com os discípulos de Emaús (cf. Lc. 24,14-17), sem compreender o plano de Deus, iam pelo caminho tristes, sem esperança de reencontrar com o Senhor da Vida.

Mas Deus age no tempo e na hora certa, a imagem foi levada para o Museu de Arte de São Paulo (MASP), aos cuidados do professor Pietro Maria Bardi, que a encaminhou para a artista plástica Maria Helena Chartuni na esperança de devolver ao povo e ao Brasil a sua Rainha e Padroeira restaurada.

No dia 19 de agosto do mesmo ano (1978), uma multidão se comovia com a chegada da Mãe Aparecida ao seu Santuário. No percurso do MASP até a Aparecida, muitos trocaram olhares com a Mãe por onde passava, certamente muita bênção Deus enviou dos céus pela sua intercessão. A esperança renasceu, a luz voltou a brilhar, pois a aquela que Deus havia dado como Mãe do povo brasileiro voltou para seus filhos.

Ao fazer memória dos 40 anos da restauração da venerável imagem da Senhora Aparecida, é a vez do povo brasileiro recorrer a Santa Mãe de Deus com o título de Aparecida, pelo restauro da Nação tão marcada pela corrupção, injustiça, intolerância religiosa, egoísmo, desunião familiar, descrença e tantos outros sistemas que escravizam, roubam e ameaçam a paz dos brasileiros.

Mãe Aparecida, ensina teu povo a rezar, para que o Brasil acorde e caminhe com teu Jesus. Que os governantes assumam com responsabilidades e ética o compromisso de fazer uma política justa em favor da vida e do bem comum. Que a injustiça seja superada pela verdade, que todos possam expressar sua fé no Cristo com liberdade e paz. Que o egoísmo seja combatido pela solidariedade e amor. Que as famílias sejam abençoadas e prevenidas de qualquer ideologia que ameaça a sua dignidade. Que desperte a fé em todo cidadão brasileiro e, assim ande com teu Jesus, pois Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida, (cf. Jo 14,6). Socorrei e restaurai a nossa Pátria ó Rainha e Padroeira de nosso Brasil.

*Carlos José da Cunha é Irmão Redentorista, Aparecida (SP).

Deixe uma resposta

dezoito − 8 =