CAM V: recuperar a alegria do Evangelho, reavivar o profetismo

Recuperar a alegria do Evangelho, reavivar a nossa profecia e ser agentes de comunhão e de reconciliação no mundo de hoje, esse é o convite do 10º Congresso Missionário Americano (CAM V), em julho, na Bolívia.

Por Agência Fides

Daqui a dois meses, de 10 a 14 de julho, vai se realizar na cidade de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, o V Congresso Missionário Americano (CAM V). Este evento eclesial faz parte de uma rica história que, da América Latina, iluminou o caminho missionário de toda a Igreja. O próximo Congresso será também o 10º de uma longa série, iniciada em 1977 no México, que se realiza a cada quatro anos em vários países da América Latina.

América em missão, o Evangelho é alegria
Com o slogan “América em missão, o Evangelho é alegria”, o Congresso deste ano abordará o tema “A alegria do Evangelho, coração da missão profética, fonte de reconciliação e comunhão”.

Reforçar a identidade e o compromisso da missão Ad gentes

cartaz-232x300Seu objetivo geral será “reforçar a identidade e o compromisso missionário Ad gentes (além-fronteiras) da Igreja na América, para anunciar a alegria do Evangelho a todos os povos, com atenção particular às periferias do mundo de hoje e a serviço de uma sociedade mais justa, solidária e fraterna”.

Evangelho, Alegria, Comunhão e reconciliação, Missão e profecia

O CAM se desenvolverá em torno de quatro eixos temáticos. Evangelho: porque aquilo que o missionário anuncia nasce deste primeiro contato com o Evangelho e retorna a ele como fonte que dinamiza a sua vida cotidiana. Alegria: fruto da experiência do encontro pessoal com Cristo.

Comunhão do homem com Deus e dos homens entre si

Comunhão e reconciliação: a finalidade principal da evangelização e da ação missionária da Igreja é alcançar a comunhão do homem com Deus e dos homens entre si. Missão e profecia: mandado confiado por Jesus aos Apóstolos de serem suas “testemunhas”.

“Para quem trabalha no campo da formação missionária, estes temas falam de uma profunda espiritualidade e convidam a promover processos de transformação missionária em nossas Igrejas locais”, lê-se numa nota do diretor do Centro Missionário Maryknoll, Pe. Alejandro Marina.

Levar a Boa Nova às periferias geográficas e existenciais

“As realidades de nossos tempos são muitas: crise ecológica, violência familiar, feminicídio, corrupção, droga, guerras, tráfico de seres humanos”, continua o missionário de Maryknoll. “Devemos chegar às periferias geográficas e existenciais destas realidades para levar a Boa Nova”, acrescenta ele.

Porque, como afirma o Documento de Aparecida (n. 362), “A Igreja necessita de uma forte comoção que a impeça de se instalar na comodidade, no estancamento e na indiferença, à margem do sofrimento dos pobres do Continente”.

Sonho de Francisco: uma opção missionária capaz de transformar tudo

“Como reacender em nós a dimensão profética da nossa fé que recebemos como missão no batismo? De que modo todo cristão é um agente de comunhão e reconciliação num mundo fragmentado e dilacerado?”, pergunta Pe. Alejandro, recordando as palavras do Papa Francisco na Exortação apostólica Evangelii Gaudium: “Sonho uma opção missionária capaz de transformar tudo...”

O convite que o próximo CAM V faz é o seguinte: “Recuperar a alegria do Evangelho, reavivar a nossa profecia e ser agentes de comunhão e de reconciliação no mundo de hoje”, conclui.

Fonte: Agência Fides
TagsCAM

Deixe uma resposta

quatro × cinco =