Quem ama acredita

Acreditar nos sinais de Deus é acreditar no duelo forte, sempre forte, da vida que vence a morte, com a consciência da vitória do Senhor na sua Páscoa.

Por Geovane Saraiva*

Acreditar nos sinais de Deus é acreditar no duelo forte, sempre forte, da vida que vence a morte, com a consciência da vitória do Senhor na sua Páscoa. Sendo assim, sejamos convencidos de que seu amor pelo mundo é maior, e supera todos os obstáculos. A Celebração da Páscoa, acontecimento central da nossa fé, no qual Jesus ressuscitado permanece conosco para sempre, ensina-nos o caminho da vida na História, mesmo com tantos sinais de ventos contrários, rumo ao triunfo da vida.

Jesus ressuscitadoDeus quer de nós um coração grande, tendo por base o amor como condição e prova de nossa fé, mesmo diante de sinais adversos, túmulos e sepulcros vazios. Somos convidados a ver além das aparências, no contexto da Páscoa, que quer ser um processo que se concretiza através do compromisso dos cristãos; da força da graça que se renova na vida do Senhor ressuscitado. Que sejamos estimulados, desafiando-nos a viver o nosso batismo, morrendo com Cristo e com Cristo ressuscitando.

O Ressuscitado convida a vivermos a experiência de Maria Madalena e dos discípulos, a partir do referido túmulo vazio; da novidade nos sinais existenciais, pela dúvida, sofrimento, medo e morte, mas repleto dos sinais de solidariedade, justiça e esperança para o mundo. “Vi Cristo ressuscitado, o túmulo abandonado”, de tal modo surpreendeu e envolveu Maria Madalena do mistério pascal, que “saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: "Tiraram o Senhor do túmulo e não sabemos onde o colocaram” (Lc 20, 2).

Jesus ressuscitado se encontra lá, onde se vive segundo o Espírito Santo, onde se partilha o amor solidário e a verdadeira alegria. A exemplo dos discípulos e seguidores de Jesus de Nazaré, que o nosso compromisso seja o de vida onde há sinais de desalento, violência e morte. Jesus ressuscitado encontra-se nos crucificados de todo o mundo, a reprovar os que são a causa das crucifixões. Convertidos à Páscoa do Senhor, sejamos inundados por sua presença amorosa e perpétua em nosso meio. Feliz Páscoa!

*Geovane Saraiva é jornalista, colunista e pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza, CE.  Da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Deixe uma resposta

2 × 3 =