Intenção Missionária

Março: Pelos cristãos perseguidos, para que experimentem o apoio de toda a Igreja na oração e através da ajuda material.

Por Joseph Kihiko*

O Novo Testamento informa que os cristãos primitivos sofreram perseguição nas mãos das lideranças judaicas de seu tempo, começando pelo próprio Jesus Cristo. A perseguição aos seguidores do Mestre continuou após a sua morte. Por causa da sua fé em Cristo, os cristãos foram perseguidos pelo Império Romano e levados para arenas, para alegria do Imperador e do público. O primeiro mártir do cristianismo foi Estêvão (cf. At 7).

cristaosiraque A crueldade estende-se ao longo dos tempos até os nossos dias. Muitos cristãos sofrem todo o tipo de maldade, apenas por professarem a sua fé em Jesus Cristo. Em muitos países, especialmente na África, Oriente Médio e alguns na América Central, como o México, os cristãos são atacados sem piedade, mortos, as suas igrejas incendiadas, as suas Bíblias queimadas, tudo em nome de uma fé cega e ofensiva.

Segundo a organização não governamental, Portas Abertas, “Cerca de 1.200 cristãos foram assassinados no mundo entre novembro de 2015 e outubro de 2016 por razões relacionadas às suas crenças, graças a Deus, num número muito inferior ao do ano anterior (1.201 mortos em 2012, 2.123 em 2013 e 4.344 em 2014)”.

Na festa de Santo Estevão (26 dezembro de 2016) o papa Francisco alertou que a perseguição que os cristãos sofrem atualmente é maior, mas, igualmente cruel à vivida nos primeiros séculos da cristandade. Ele disse que “queremos pensar nos irmãos que sofrem perseguições e estar perto deles com o nosso afeto, a nossa oração e também com as nossas lágrimas”. Neste mesmo dia, no seu twitter, o santo padre disse “Na festa de Santo Estevão recordamos os mártires de ontem e de hoje. Vençamos o mal com o bem, o ódio com o amor”.

Portanto, o pontífice convida todos os cristãos a serem solidários espirituais com os que sofrem, assumirem o dever de dar voz para os fiéis perseguidos e a insistir que suas histórias sejam contadas.

Para isso, todos podem ousar dar um passo a mais e responder com caridade às necessidades destes irmãos nossos. Doe e seja um Benfeitor da organização não governamental Ajuda à Igreja que Sofre.

*Joseph Kihiko é seminarista da Consolata em São Paulo, SP.

Deixe uma resposta

3 × quatro =