Encontro de formação sobre a CFE 2016 em São Paulo

Encontro de formação na Região Episcopal Santana, em São Paulo, abre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 e reflete sobre saneamento básico, direito de todos.

Por Stephen Ngari*

Um encontro de formação sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 (CFE) chamou a atenção sobre a falta de saneamento básico no Brasil, como em outros países do mundo. Frei Guilherme Pereira Anselmo, um frade da congregação de Santo Inácio de Loyola e capelão do Hospital Dom Pedro II apresentou o texto básico da CFE no centro paroquial da Igreja de Santana no dia 13 de fevereiro, sábado, a partir das 14h.O evento contou a participação do bispo responsável da Região Episcopal, dom Sérgio de Deus Borges e cerca de 100 pessoas de várias paróquias da região. Depois da exposição do documento pelo frei, celebrou-se a missa da abertura presidida por dom Sergio e concelebrada pelos padres, diáconos e participantes do encontro.

encontrocampanhadafraternidade2menorO frei principiou a formação apresentando as premissas do tema da campanha. Deus criou todas as coisas porque Ele nos ama, e para o bem-viver. A criação é dinâmica e passa continuamente por um processo no qual o ser humano é envolvido. Naturalmente, todo processo criativo gera resíduo, isto é, as coisas que ficam pelo caminho, as sobras. Há resíduos naturais como lixo e esgoto e resíduos químicos e tóxicos.
Segundo o religioso a pergunta que as pessoas devem se fazer é, “como nós elaboramos os resíduos que produzimos?”

Com o aumento da população e do desenvolvimento tecnológico a produção de resíduo aumentou. Infelizmente, os métodos de sua elaboração e eliminação agridem a terra,“a nossa casa comum”. Até as pessoas e animais que não participam do processo de produção de resíduos, acabam sofrendo com o lixo acumulado. O palestrante lembrou como alguns países desenvolvidos jogam seus lixos nos países em desenvolvimento. “De repente chega ao porto uma conteiner cheio de lixo”. Outro contribuinte do aumento do lixo é a redução cada vez maior da validade dos produtos manufaturados ou processados, em detrimento de motivos econômicos.

Ao explicar porque saneamento básico, Guilherme mostrou como a CFE tem o objetivo de sanear a criação. A palavra saneamento tem sua raiz em uma palavra latina SANUS, que quer dizer sanear, tornar higiênico. Aplicando à criação, tem sentido de santidade. Portanto, saneamento é cuidar do que atrapalha a salvação, é humanizar, é resgatar, é fazer voltar ao estado original. É fazer saudável o que foi intoxicado pelos resíduos mal elaborados.O religioso insistiu que todas as pessoas são corresponsáveis na proteção da casa comum.

No final desta primeira parte mostrou aos presentes que a humanidade não tem condições de destruir o mundo, mas o torna um lugar inóspito para todos. Na segunda parte, frei Guilherme apresentou o texto básico da CFE que continua com o mesmo modelo de ver, julgar e agir.

cfe2016encontrosantana1menorO coordenador da Pastoral Ecológica da Região Santana, Diego, também fez a sua contribuição na formação. Ele insistiu com as pessoas para priorizar a coleta seletiva básica, separar o que é orgânico e o que é inorgânico. Advertiu as pessoas sobre a má eliminação de resíduos como remédios vencidos, chapas de raios X e material eletrônico. Informou que quando a pessoa não sabe como eliminar algum resíduo, deve devolver onde comprou. Cada loja ou ponto de venda, por lei, tem obrigação de cuidar do resíduo que gera.

O óleo usado da cozinha nunca deve ser jogado na pia ou no vaso sanitário. Ele precisa ser reciclado e já existem grupos que fazem esse trabalho. A pastoral da ecologia está coletando as chapas de raios X. Esse material é altamente tóxico, contém metanol, amônia, cádmio e prata que contaminam o solo e a agua subterrânea. Portanto, deve ser eliminado adequadamente. Quem quiser, pode entrar em contato com a pastoral para mais informações e saber onde entregar as chapas pelo e-mail ecologia@hotmail.com ou tel. 11.98066 4983.

O coordenador falou também sobre o projeto Eco-Usina presente na cidade de São Paulo. Ele procura eliminar todo tipo de resíduos de uma maneira ecologicamente correta, economicamente viável e socialmente justa. A população deve colaborar valorizando os eco pontos. Por mais informações acesse http://www.ecousina.com.br/

Stephen Ngari, imc, é missionário em São Paulo.

Deixe uma resposta

14 − sete =