Arquidiocese de São Paulo celebra Dia Nacional da Juventude

Comemoração do Dia da Juventude em Santana reúne multidão de jovens em celebração eucarística, procissão, reflexão e momentos de lazer.

Por Stephen Ngari, imc
Fotos: Stephen Ngari

O Dia Nacional da Juventude (DNJ) a nível da arquidiocese de São Paulo foi celebrado em 8 de novembro, domingo, na Paróquia de Santana, Região Episcopal Norte. A missa foi presidida pelo cardeal arcebispo dom Odilo Pedro Scherer e concelebrada por três bispos auxiliares, dom Carlos Lema Garcia, vigário episcopal do Vicariato para a Educação e a Universidade, dom Eduardo Vieira dos Santos, vigário episcopal da Região Sé, dom Julio Endi Akamine, vigário episcopal da Região Lapa, dezenas de padres e uma multidão de fiéis.

missajuventudenovembro15santanastephenngarimenorA celebração eucarística começou poucos minutos depois das 13h. A igreja ficou pequena para comportar milhares de jovens que se congregaram na Igreja Matriz da Região Santana, vindos de todas as paróquias da arquidiocese. Depois da missa, os jovens seguiram em procissão até o Parque da Juventude, no bairro do Carandiru, para apresentações e debates.

Em sua homilia, o cardeal explicou aos jovens o sentido da Eucaristia e como ela nos lembra de Jesus diante de Deus intercedendo por nós. Depois, recordando do Sínodo da Família que se realizou no mês de outubro no Vaticano, o arcebispo metropolitano convidou os jovens a valorizarem a família e se prepararem bem para assumir essa responsabilidade tão importante na sociedade. Ele encorajou os jovens a não desistirem de viver os valores do Evangelho e da família apesar de inúmeros desafios presentes na cultura consumista de hoje.

Os jovens expressaram a sua satisfação de participar do evento através dos cantos animados e danças durante a missa, a procissão e apresentações no Parque. Segundo Débora, uma jovem da Paróquia Sagrada Família, o DNJ é momento de “compartilhar a nossa alegria, ser solidários, aprender mais sobre Jesus. É importante levar Jesus a todos os lugares, com alegria”.

José Augusto da Pastoral da Juventude (PJ-São Paulo), e que trabalha na comunidade Vila Prudente junto com Padre Assis da Paróquia São José Operário, disse que o DNJ é uma expressão nacional da luta da juventude. Ele lembrou os jovens que lutam para construir o Reino de Deus e uma sociedade justa, outro mundo possível, inserindo-se na política e nos movimentos sociais, movidos pela sua fé.

“O Dia Nacional da Juventude é o dia de celebrar a nossa luta para a construção de uma sociedade mais justa onde o jovem tem vez e voz”, ressaltou Augusto. A PJ nas suas atividades foca a formação de grupos de bases. Um grupo reúne entre 10-15 jovens, para partilha da vida e discussão sobre assuntos atuais, como a situação do país na política e na economia. Eles entendem que o ser igreja significa estar presente mais além das paredes da igreja estrutural. Ser igreja é assumir o Reino de justiça e paz, como nos convida o papa Paulo VI quando fala da civilização do amor.

Welington, coordenador do grupo de jovens da Paróquia São Francisco Xavier, organizou a missão "Crismados", visitando famílias de casa em casa. O coordenador lamentou o fato que os jovens de hoje são menos preocupados com a política e questões sociais e só investem seu tempo e esforço no trabalho e no estudo. Ele atribui isso ao “espelho que a política dá aos jovens, não anima muito”. Mas recomenda que os jovens lutem para ter a sua representação no governo e na política.

No Parque da Juventude os jovens participaram de diversas atividades. A Pastoral da Juventude debatednjpromoveu um debate sobre o extermínio de jovens e a redução da maioridade penal. Eles levantaram a voz contra a violência, que segundo eles, é promovida pela polícia militarizada, principalmente nas periferias da cidade. Para combater isso, os jovens exigiram desmilitarização urgente da polícia, educação de qualidade e espaços públicos e culturais que facilitem a manifestação diversa dos jovens. O jovem precisa ter voz e vez.

Diversas congregações e grupos religiosos montaram suas exposições falando sobre o seu carisma e seu trabalho missionário. O Centro Universitário de Sant’Ana ofereceu serviços de massagens aos presentes. Havia ainda uma tenda de adoração e padres disponíveis estrategicamente para atender quem precisava se confessar. No palco principal, diversos grupos faziam apresentação musical.

Faz 30 anos que os jovens católicos celebram o Dia Nacional da Juventude. O tema sempre parte da Campanha da Fraternidade do mesmo ano. Nos primeiros 25 anos, a Pastoral da Juventude (PJ) organizava o evento, mas em 2011 foi constituída a Coordenação Nacional de Jovens (CNJ) para reconhecer outras manifestações juvenis que já tinham aparecido. A CNJ vem organizando o evento nestes últimos 5 anos.

Segundo a tradição o tema deste ano parte do tema da CF 2015 Fraternidade: Igreja e sociedade. O tema deseja recordar a presença forte de jovens na sociedade. Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, “é jovem aquela, aquele que tem a força, o vigor de Deus. Deus é bondade, misericórdia, cuidado, fonte de todo o bem.” Com essas palavras podemos dizer que os jovens são convidados a serem sinais de mudança.

É momento especial de ações celebrativas e missionárias. Na preparação deste encontro, no mês de outubro, os jovens refletiram sobre o tema, sob três eixos: construindo uma nova sociedade, juventude e vida e juventude e vida política.

Veja galeria de fotos do evento

Comemoração do Dia da Juventude em Santana reúne multidão de jovens em celebração eucarística, procissão, reflexão e... Posted by Revista Missões on Terça, 10 de novembro de 2015
(CC BY 3.0 BR)

Deixe uma resposta

9 + doze =