O caminho se faz ao andar

Rosa Clara Franzoi *

"Para que nos serve um horizonte se nunca se deixa alcançar?"

Certa vez, um homem e uma mulher fascinados pela deslumbrante paisagem da natureza, decidiram colocar-se a caminho em busca do horizonte. Andaram, andaram, mas, à medida que avançavam, ele se afastava. Resolveram então apressar o passo, não reclamar do cansaço, da sede e da fome. Mas, inútil, o horizonte continuava longínquo e inalcançável. Cansados e decepcionados, com os pés machucados e a sensação de ter se fatigado inutilmente, disseram um ao outro: "Para que nos serve um horizonte se nunca se deixa alcançar?" E uma voz lhes disse: "Para que continuem sempre caminhando". (Eduardo Galeano)

O caminho é a gente que faz
Quando um jovem decide construir o seu futuro, o horizonte parece distante... Mas, cuidado que o tempo voa! Nunca é cedo demais para começar a descobrir a direção a tomar. É um assunto de máxima importância, pois se trata de vida ou morte: ou seremos pessoas felizes, ou pessoas frustradas. Nesta busca, três coisas são importantes: primeira, saber que o caminho não está traçado; segunda, o caminho se faz passo a passo; terceira, determinação e persistência. Há uma música que diz: "caminheiro, você sabe, não existe caminho; passo a passo, pouco a pouco e o caminho se faz". Muita gente, achando que a trilha já está pronta, começa a percorrê-la, rotineiramente, sem conhecê-la e sem ponderar as consequências. A rotina e a falta de clareza podem prejudicar a busca e frustrar a pessoa. Quem, porém, se coloca a caminho em busca do seu futuro já deve ter algum vislumbre do horizonte, do ponto de chegada; por isso, é só ir em frente com o olhar fixo na meta, sem ceder ao cansaço, às incertezas, ao desânimo e às vozes que indicam outras direções.

Vocação missionária
Outubro é o mês dedicado às Missões. A vocação missionária é muito bonita, porque é a vocação do próprio Jesus. Ele passou a vida toda colocando os alicerces para a construção do seu Reino. Após a sua ressurreição, antes de subir ao céu, ele pediu aos seus Apóstolos que continuassem e fizessem como ele fez. E eles foram até os confins do mundo, tornando discípulos do Mestre todos os que encontravam. Hoje, na Igreja, há muitos jovens - rapazes e moças - que atraídos por este ideal, deixam tudo, inclusive o seu país, para anunciar o Reino e seus valores, nos lugares mais distantes e difíceis, onde há pessoas que precisam de um reforço na fé em Jesus Cristo e no seu Evangelho. Depois da Conferência de Aparecida, 2007, a Igreja convida, todos, leigos e leigas, a serem discípulos missionários de Jesus, pois este é um direito e um dever que lhes vêm do Batismo. O nosso mundo, a nossa cidade e a nossa comunidade precisam ser re-evangelizados. Então, mãos à obra!

* Rosa Clara Franzoi, MC, é animadora vocacional. Publicado na revista Missões, N. 08 - outubro 2012.

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

5 × dois =