40 missionários da Consolata à procura de novo padrão de missão

Elísio Assunção

Cansaço, incertezas, dúvidas e desilusões obrigam a repensar o modelo de missão na Europa. Stop em Turim de padres, irmãos, irmãs e leigos para reflectir

"Queria conhecer-me, mas faltam-me os dados", projectou o professor Tolosini Aluís, como mote para uma manhã de reflexão sobre a nova imagem da missão na Europa a decorrer em Turim, na Casa-Mãe dos Missionários da Consolata. Perito em questões de interculturalidade, o orador centrou a sua reflexão sobre problemas relacionados com a mestiçagem de culturas que se vive, hoje, na Europa. Aliás a própria assembleia constituída por 40 missionários da Consolata oriundos de vários continentes, a trabalhar na Europa, revelou-se bem significativa desta variedade cultural.

"É impensável que a Igreja se dispense da actividade missionária", afirmou o orador para sublinhar como é necessário, isso sim, rever o modo de propor a mensagem missionária na Europa. O conceito de missão deixou de ser geográfico para se tornar antropológico. A fronteira da missão deslocou-se e continua a deslocar-se numa sociedade em que a relação entre centro e periferia está alterada. "Tudo é centro e tudo é periferia". De modo tal que não se trata apenas de cosmética de imagem, de mudanças profundas no seio das instituições missionárias.

"Quem mora na fronteira corre o risco de apanhar de ambos os lados, de não ser percebido por nenhuma das partes". Esta situação exige do missionário estudo e reflexão. "Habitar a fronteira é habitar o lugar onde se joga o novo, onde se pode perder, onde se relaciona com muitas e diversas identidades". As fronteiras hoje devem ser vistas "como lugares que unem, onde são possíveis as diferenças".

Este grupo de missionários trabalha em Portugal, Espanha, Itália e Polónia em vários sectores de actividade, desde a formação ao campo da animação missionária, comunicação social, e justiça e paz. Reúnem-se como grupo pela terceira vez: agora em Turim, no norte de Itália, depois de ter passado por Roma e Fátima. Portugal está representado com dois leigos, uma irmã e quatro padres.

 

Fonte: Fátima Missionária

Deixe uma resposta

15 + 1 =