Mensagem do Superior Geral para a Festa da Consolata

Padre James Lengarin inicia sua mensagem para a Festa da Consolata recordando a proximidade da canonização do Bem-aventurado José Allamano, fundador dos Institutos dos Missionários e das Missionárias.

Por Redação *

“Todos nós nos alegramos, em 23 de maio, com a notícia do reconhecimento do milagre atribuído ao nosso amado Pai e Fundador”, recorda o Padre Geral no início de sua Mensagem enviada a todos os missionários e missionárias, leigos e leigas da Consolata, familiares, amigos e benfeitores, por ocasião da Festa da Consolata, em 20 de junho.

Padre James Bhola Lengarin, IMC, prossegue enfatizando que essa “alegria e a satisfação eram também evidentes no rosto de quem, com tenacidade, constância e humildade, trabalhou incansavelmente, muitas vezes sem ser visto, nos últimos anos para levar a cabo as várias etapas do processo de canonização”.

“Um agradecimento muito especial”, diz o Padre Geral, “porém, vai para a nossa Mãe Consolata que, por meio do Bem-aventurado José Allamano, fundou a Família da Consolata”.

Mensagem do Superior Geral (vídeo produzido pelo Ir. Adolphe Mulengezi)

Partindo do milagre recebido por Sorino Yanomami por intercessão do Bem-aventurado Allamano, a Mensagem oferece uma reflexão sobre o milagre de Caná da Galileia e sobre o “papel de Maria como ‘protagonista’, convencedora em relação ao Filho e promovedora de compromisso junto dos servidores do banquete nupcial”.

A seguir, a reflexão aplica a passagem bíblica do banquete de Caná (João 2:3-11) à nossa vida como pessoas consagradas e às diferentes realidades de nossa missão no mundo.

“Assim como Maria intercede pelos esposos dizendo a Jesus: ‘Não têm vinho’, a nossa missão é chamada também a ser intercessão pela humanidade, especialmente por todos aqueles que sofrem com a ‘falta’ de bens primários, de paz e de justiça”.

A Mensagem conclui com uma oração mariana do Papa Francisco, mas antes lembra que “a missão é vivida na tensão entre estas duas polaridades: ‘Não têm vinho’… ‘Fazei o que ele vos disser’. Desde o reconhecimento da ‘falta’ até ao sermos enviados por Jesus para anunciar o Evangelho que enche a vida de sentido, paz, alegria e consolação. Como Maria, o importante é confiar n’Ele. Esforçar-se por ‘fazer sempre o que Ele nos diz’, especialmente em momentos de dificuldade, porque a missão é dele e não nossa!! (cf. 1 Cor 3, 9)”.

Desejamos a todos uma Feliz Festa da Consolata, motivados também por essa reflexão do Superior Geral, que publicamos na íntegra.

Deixe uma resposta

18 − um =