"Na velhice não me abandones" é o tema do IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos

O tema escolhido por Francisco para o IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, que será celebrado no domingo, 28 de julho próximo, é extraído do Salmo 71, e foi divulgado esta quinta-feira pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida. "‘Na velhice não me abandones’ é a ‘oração de um ancião’, que nos lembra que a solidão é uma realidade infelizmente difundida, que aflige muitos idosos, muitas vezes vítimas da cultura do descarte e considerados um fardo para a sociedade", diz o cardeal Farrell
Por Raimundo de Lima

 

“Sou profundamente grato ao Santo Padre por ter escolhido como tema do IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos o versículo do Salmo 71: ‘Na velhice não me abandones’. É a ‘oração de um ancião’, que nos lembra que a solidão é uma realidade infelizmente difundida, que aflige muitos idosos, muitas vezes vítimas da cultura do descarte e considerados um fardo para a sociedade”, diz o prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, cardeal Kevin Farrell, comentando o tema escolhido para este Dia, cuja celebração terá lugar em 28 de julho.

Promover a cultura do encontro

Diante desta realidade, as famílias e a comunidade eclesial são chamadas a estar na linha de frente da promoção da cultura do encontro, criando espaços de partilha e escuta, oferecendo apoio e afeto: assim se concretiza o amor do Evangelho.

A solidão, certamente, é também uma condição inerente à existência humana, que se manifesta de modo particular na velhice, mas não apenas. Por isso, afirma o cardeal, a oração do salmista é a oração de cada um de nós, a oração do coração de cada cristão que se dirige ao Pai e confia no seu conforto.

Construir juntos o ‘nós’ mais amplo da comunhão eclesial

Neste ano dedicado à oração, a celebração do IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos assume, pois, um significado ainda mais profundo e amplo. Convida-nos a construirmos, juntos – avós, netos, jovens, idosos, membros da mesma família – o ‘nós’ mais amplo da comunhão eclesial.

Superar toda forma de cultura do descarte e de solidão

“É precisamente essa familiaridade, enraizada no amor de Deus, que supera toda forma de cultura do descarte e de solidão. As nossas comunidades, com a sua ternura e com uma atenção afetuosa que não esquece os seus membros mais frágeis, são chamadas a manifestar o amor de Deus, que nunca abandona ninguém”, destaca o purpurado.

O Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida convida as paróquias, dioceses, organizações associativas e comunidades eclesiais ao redor do mundo a se prepararem espiritualmente e com iniciativas pastorais para o evento. Nos próximos meses, estará disponível no site www.laityfamilylife.va um kit pastoral específico de preparação.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

7 + dezesseis =