Pesquisa com adolescentes revela percepção positiva de Jesus

Levantamento feito por organizações evangélicas ouviu cerca de 25.000 jovens de 13 a 17 anos no mundo, com o objetivo de ajudar lideranças religiosas a entender essa geração.

de Maria Emerenciana Raia

Em parceria com o Barna Group, as organizações cristãs Alpha, Associação Internacional de Escolas Cristãs (ACSI), Bíblica Brasil, Bible Study Fellowship, Christian Vision (CV), Christ In Youth, Envisionar e a ONG Visão Mundial desenvolveram o estudo Geração Autêntica para a América Latina, para entender a identidade, valores e pontos de vista dos adolescentes (Geração Z) sobre aspectos como sociedade, comportamento e relação com a fé. A proposta da pesquisa é ajudar lideranças religiosas a entender essa geração emergente. Quase 25.000 adolescentes, de 13 a 17 anos, em 26 países participaram do estudo, que teve cortes transversais de adolescentes nacionalmente representativos de cada um deles, independentemente de sua religião ou inclinação.

Entre os temas pesquisados estão custo de vida, preocupações com a saúde mental pós-pandêmica, política internacional e desastres naturais em andamento e, claro, religião. Os dados mostram que é raro os adolescentes pensarem mal de Jesus. A maioria ao redor do mundo tem uma percepção positiva dele. Cerca de metade de todos os adolescentes, em grupos religiosos, descrevem Jesus como “amoroso” (49%) e acreditam que ele oferece esperança (46%) e se importa com as pessoas (43%). A impressão global de Jesus é que ele é confiável, generoso, sábio, pacífico.

High angle shot of an unrecognizable man reading his bible while sitting outside

High angle shot of an unrecognizable man reading his bible while sitting outside

Outro dado importante revelado é que 84% dos adolescentes engajados com os estudos da Bíblia dizem que as Escrituras os ajudam a entender seu propósito. Os jovens acreditam que ela é “a Palavra de Deus” e os mais engajados acreditam que a Bíblia ensina sobre viver uma vida significativa (84%) e ajuda a viver sabiamente na sociedade (80%).

Segundo Daniela Zanella, especialista de Marketing da Christian Vision, na América Latina, 79% dos jovens entrevistados se declararam cristãos, sendo 70% católicos e 30% protestantes. No Brasil, 82% se declararam cristãos. Ao serem questionados sobre quem é Jesus, muitos responderam que é Deus na forma humana, outros que é um profeta de Deus. É uma geração sedenta por saber. No Brasil, 90% dos entrevistados estão motivados a aprender sobre quem é Jesus Cristo.

A pesquisa também ouviu os jovens a respeito da relação entre a Bíblia e a motivação por justiça. 84% dos jovens da América Latina têm Bíblia em casa. Os adolescentes cristãos motivados pela justiça dizem que o Livro Sagrado os ajuda a enfrentar os erros dos outros, a promover a equidade e a justiça, a buscar impactar a vida de outras pessoas e a cuidar de pessoas que precisam de ajuda. No Brasil, a maioria afirmou que passa muito mais tempo refletindo sobre a Palavra de Deus sozinho e muitos buscam alguém para conduzi-los nesse caminho. Lideranças religiosas precisam dar testemunho de vida e orientá-los nesse sentido, porque precisam de encorajamento.

Para Aline Davi, diretora da Steiger, “precisamos ganhar a confiança dos adolescentes, mantendo um discurso coerente e amigo. Não há necessidade de manter o jovem fora do mundo, eles precisam estar no mundo, porém, sabendo discernir sobre o que é de Deus e o que é do homem”.

Para conhecer o estudo em português, basta visitar o site: http://estudobarna.com.br. E, quem quiser analisar os dados de cada um dos países participantes da pesquisa, basta clicar no link https://www.barna.com/the-open-generation/explore-the-data/

Maria Emerenciana Raia é editora da revista Missões.
Com informações da Assessoria de Imprensa Tide Social.

Deixe uma resposta

dezenove − 1 =