Ação pastoral dos Povos Indígenas Ticuna

Indígenas Ticuna ação pastoral à luz das diretrizes gerais da ação evangelizadora da Igreja no Brasil.

Por CNBB

Os quatro pilares que sustentam as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE): Palavra, Pão, Caridade e Ação Missionária foram objeto central das perspectivas pastorais do povo Ticuna, que estiveram reunidos de 4 a 8 de janeiro, na 3ª Reunião Geral Diocesana de Pastoral Ticuna, em Belém do Solimões, na diocese de Alto Solimões (AM).

A partir desses pilares as comunidades têm assumido compromissos para cada um dos pilares, valorizando a Bíblia, as celebrações de forma inculturada, a catequese e a reza do terço, os jovens e o combate do alcoolismo, sua língua e cultura, a ecologia, a missionariedade e as vocações ticuna, especialmente neste 3º Ano Vocacional da Igreja no Brasil.

O encontro realizado em língua Ticuna foi momento para elaborar um calendário pastoral diocesano para 2023, com formações para os indígenas e encontros de jovens em prol da sobriedade, a ecologia e a valorização da cultura. Também foram organizadas as visitas que os missionários e missionárias do povo ticuna farão junto com o diácono Antelmo Pereira Ângelo, o primeiro diácono permanente do povo ticuna.

De fato, já foram enviados os primeiros 07 missionários e missionárias ticunas para três semanas de missão e formações nas comunidades ticuna mais distantes da diocese, em Tonantins e Santo Antônio do Içá (AM). Essas visitas são vistas como motivo de enorme alegria para o povo e para os missionários e missionárias, que estão vivendo plenamente seu protagonismo eclesial na construção do Reino de Deus, na construção de uma Igreja amazônica com rosto indígena.

 

Rosto amazônico da Igreja

A paróquia São Francisco de Assis, a única totalmente indígena do Alto Solimões, mesmo diante dos desafios enfrentados e a necessidade de seguir amadurecendo, pode ser considerada como um bom exemplo desse jeito de ser Igreja, intercultural e com rosto indígena.

Essa aldeia Ticuna, chamada de Belém do Solimões está localizada dentro da área indígena Ewaré e é a maior aldeia da região, chegando a abranger três municípios (Tabatinga, Benjamin Constant e São Paulo de Olivença). A aldeia fica próximo da tríplice fronteira (Brasil – Peru – Colômbia) e possui cerca de 72 comunidades indígenas catalogadas, a maioria delas pelos Frades Menores dos Capuchinhos do Amazonas e Roraima que trabalham com a comunidade, segundo a arquidiocese de Manaus.

A 3ª Reunião Geral Diocesana de Pastoral Ticuna contou com a presença do bispo diocesano dom Adolfo Zon e do arcebispo de Ancona (Itália) dom Ângelo Spina que junto com um grupo de padres, leigos e leigas e seminaristas está visitando a diocese de Alto Solimões (AM), em busca de avançar na cooperação missionária.

A visita faz parte da I Experiência Vocacional Missionária Nacional “Pés a caminho”, que ocorre de 5 a 17 de janeiro e reúne quase 300 pessoas – entre seminaristas, formadores, bispos, religiosas e jovens vinculados à Juventude Missionária dos 19 regionais da Igreja do Brasil. A iniciativa envolve diversos organismos eclesiais (Pontifícias Obras Missionárias, Pontifícia União Missionária, Juventude Missionária, Conselhos Missionários de Seminaristas, Organização dos Seminários do Brasil).

Com informações de Padre Modino - CELAM e Arquidiocese de Manaus

Deixe uma resposta

19 − 15 =