Como celebrar Corpus Christi em tempos de pandemia?

A solenidade litúrgica é uma demonstração pública da fé que temos na Eucaristia, Corpo e Sangue de Cristo.

Por Flávio Sobreiro

A solenidade litúrgica de Corpus Christi é uma demonstração pública da fé que temos na Eucaristia, Corpo e Sangue de Cristo, que nos alimenta em cada Missa que participamos. Antes da pandemia do coronavírus, todos os anos, pequenas e grandes cidades transformavam suas ruas em belíssimos tapetes para receber Jesus, presente no Santíssimo Sacramento.

corpus-christiAs ruas utilizadas por ricos e pobres, empregados e desempregados, ateus e cristãos, enfermos e saudáveis, dependentes químicos e recuperados, famílias e solitários, crianças e idosos, são revestidas de tapetes confeccionados com diversos elementos que, juntos, compõem a arte do amor que simboliza nossa devoção a Jesus Cristo. Por onde todos caminham, as mesmas ruas que seus filhos e filhas, todos os dias, percorrem, Jesus, presente na Eucaristia, é levado com devoção e adoração.

É o sublime encontro do Salvador com os que ainda caminham rumo à pátria celeste. Jesus caminha conosco sempre, e ao acolhermos Jesus, espiritualmente, numa demonstração amorosa de nosso amor para com Ele, estamos afirmando: “O Senhor percorre comigo os caminhos da vida, e sua presença me sustenta, restaura-me e renova-me”.

Por mais um ano consecutivo, viveremos um Corpus Christi diferente, porém não com menos intensidade. Na maioria das paróquias do Brasil, não teremos procissões com a presença dos fiéis. Contudo, somos convidados a prepararmos o nosso coração com tapetes de amor, devoção, louvor, agradecimento, súplica, esperança, misericórdia, caridade.

Jesus Cristo, que todos os anos passa solenemente pelas ruas de nossas cidades, passará novamente, neste ano, pelas praças e avenidas, becos escuros e jardins floridos de nossa alma, com o mesmo amor e intensidade dos tempos de outrora. Jesus não foi roubado nem se escondeu de nós em meio à pandemia, mas Ele continua vivo, presente em nossa história, curando-nos e socorrendo-nos em meio a tantas necessidades. E Jesus veio e virá sempre a nosso encontro, para que tenhamos vida e vida em plenitude (cf. Jo 10,10).

As paróquias celebrarão a Eucaristia nesse dia solene. Procure por uma mais próxima de sua residência e respeite o protocolo. Se não for possível a Eucaristia presencial, pocure celebrar o dia de Corpus Christi junto aos seus familiares utilizando um roteiro celebrativo (várias dioceses por meio de suas comissões litúrgicas têm preparado excelentes materiais). Caso não seja possível reunir-se com sua família, ou caso more sozinho, busque vivenciar, de modo profundo, essa solenidade litúrgica. Prepare seu coração por meio da oração, do silêncio contemplativo, e acolha Jesus que o visita e permanece sempre com você. Confeccione, com suas orações, o mais belo tapete de amor para acolher Jesus nesse dia.

O mesmo Cristo, que todos os anos foi acolhido por nós com tanto amor, nas ruas de nossas cidades, vem, nesse tempo de distanciamento social, visitar-nos em nossa casa e adentrar em todos os territórios de nossa alma. Preparemo-nos com fervor espiritual para acolher o Senhor em nossa tão frágil alma. Que, em sua infinita misericórdia, Ele “conserte” nossos caminhos para que, quando retornarmos à normalidade das celebrações litúrgicas presenciais, estejamos renovados interiormente.

* Flávio Sobreiro é Bacharel em Filosofia e Teólogo, pároco da Paróquia São José, em Toledo (MG). É autor de livros publicados pela Editora Canção Nova, e colunista do Portal Canção Nova (@peflaviosobreirodacosta).

Deixe uma resposta

dezenove + seis =