Rezemos o quarto (1/4) todo dia!

O direito canônico recomenda que seminaristas e clérigos rezem o santo rosário.

Por Edson Luiz Sampel *

Depois que o então papa João Paulo II, de pranteada memória, em 2002, aperfeiçoou o santo rosário, acrescentando os "mistérios luminosos", a maravilhosa oração cristológica agora se compõe de quatro espécies dos mistérios da redenção, a saber, cronologicamente: gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos. Não são mais três espécies, fato que sustentava o nome popular "terço (1/3)".

Se, por exemplo, domingo eu medito os mistérios gloriosos do rosário, rezo 1/4 ou a quarta parte do total, ou seja, o "quarto", e não mais o terço, ou a terceira parte.

O direito canônico recomenda que seminaristas e clérigos rezem o santo rosário. Eis a tradução do cânon 246, §3º:

"Deve fomentar-se o culto à virgem Maria, incluindo a reza do santo rosário, a oração mental e as demais práticas de piedade (...)

A mesma recomendação salutar se destina aos religiosos. Leia-se a tradução do cânon 663, §4º:

"Tributarão um culto especial, também mediante a reza do santo rosário, à virgem mãe de Deus, modelo e amparo de toda vida consagrada."

O código canônico indica a todos os católicos “a veneração especial e filial à Bem-aventurada sempre virgem Maria, mãe de Deus, a quem Cristo constituiu mãe de todos os homens (...)” (cânon 1186)

No livro Divina Comédia, Dante Alighieri, reportando-se a Nossa Senhora, escreveu este lindo verso: “Donna, se’ tanto grande e tanto vali, che qual vuol grazia e a te non ricorre, sua disïanza vuol volar sanz’ ali.” (Paraíso, canto XXXIII, 12). Em português, em tradução livre: “Mulher, és tão grande e tanto vales, que quem não recorre a ti por uma graça quer voar sem asas.” A obra máxima da literatura italiana expressa a verdade de fé de que para chegarmos a Jesus é imprescindível a intercessão da mãe dele, Maria santíssima. Ou seja, as graças, que só Deus nos concede, vêm-nos sempre por intermédio de Santa Maria.

Inculquemos no povo de Deus o novo apelativo "quarto", condizente com a benfazeja complementação papal. Diz-se que quem reza cotidianamente o "quarto" do rosário encontra-se no caminho da salvação eterna.

Que Maria santíssima, nossa Senhora do rosário, nos ajude a seguir rigorosamente os salutares ensinamentos dos sucessores de São Pedro! Amém! ν

* Edson Luiz Sampel é professor da Faculdade de Direito Canônico São Paulo Apóstolo (da arquidiocese de São Paulo). Autor de "Elementos de Direito Eclesiástico Brasileiro" (Editora Santuário, 2019).

Deixe uma resposta

dezoito − dezessete =