Qual é a maior riqueza da Ásia?

Cada realidade tem seus desafios e oportunidades para a missão da Igreja a serviço da vida em toda a sua plenitude. A maior riqueza da Ásia são seus povos com suas culturas e a pluralidade de religiões.

Por Geoffrey Boriga*

Será que a Ásia é realmente um continente de missão? Antes de responder a esta pergunta, outra é levantada: qual é a maior riqueza da Ásia? Já no ano de 1996, o então papa João Paulo II, por ocasião da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Ásia, respondeu a essas perguntas. Ele destacou que a Ásia é um vasto continente de recursos abundantes. Em termos geográficos, é difícil determinar a lista dos países que constituem todo o território. No entanto, pode ser considerado como a vasta área que fica entre o Oriente Médio e o Extremo Oriente. Isso inclui o Oriente Médio, os países do Golfo, os países do sul da Ásia, os países da Ásia Central, os países do sudeste Asiático, a Sibéria asiática e os países do Extremo Oriente.

giorgiomarengo1Esta extensa área foi a mãe de muitas raças e povos e a origem das grandes religiões do mundo, resultado da longa busca dos seus povos pelo significado e destino da humanidade e do universo. Não há dúvida de que alguns dos sistemas e organizações religiosos, filosóficos, sociais e linguísticos mais profundos e elaborados conhecidos na história, surgiram como resultado de sábios, santos e religiosos visionários asiáticos desde tempos imemoriais. Eles guiaram o destino de milhões de pessoas ao longo dos séculos.

A maior riqueza da Ásia são seus povos com suas culturas ricas e milenares. Eles são geralmente conhecidos por sua ênfase na laboriosidade, bem como sua perseverança e resiliência. Os valores religiosos e culturais, por exemplo, amor pela investigação filosófica, contemplação, simplicidade, desprendimento, silêncio, não-violência, são considerados pelos asiáticos como elementos fundamentais. Um profundo senso de religião, amor pela família, respeito pela vida, compaixão por todos os seres, amor e proximidade com a natureza, respeito pelos pais, idosos e ancestrais e senso de comunidade são outras fontes de força para os povos da Ásia.

A pluralidade de religiões tem sido um fato constante na história da Ásia. Apesar das tensões ocasionais e até das guerras, a Ásia tem demonstrado um grande grau de tolerância religiosa e coexistência pacífica. Em todos os momentos, houve um diálogo de vida entre as religiões, um sentido de pertença e um desejo de enriquecimento mútuo.

Na Ásia, trabalham 20 missionários da Consolata na Coreia do Sul, Mongólia e Taiwan. As Irmãs missionárias da Consolata estão presentes na Mongólia e iniciando seu trabalho em Uzbequistão e Cazaquistão.

*Geoffrey Boriga, imc, é missionário queniano na Coreia do Sul. Publicado na Revista Missões, Outubro 2020.

Deixe uma resposta

5 × dois =