Roma: Missionários da Consolata concluem curso e divulgam mensagem de esperança e compromisso

DSC_9305

Por Jaime Carlos Patias

Um grupo de missionários da Consolata que trabalham em diversos países concluíram este sábado, 29 de fevereiro, em Roma o curso de formação contínua por ocasião dos 25 anos de ordenação ou profissão perpétua. A missa de encerramento foi presidida pelo Superior Geral, o Pe. Stefano Camerlengo que agradeceu o grupo e destacou a importância da qualificação para responder aos desafios da missão. A formação que iniciou no dia 25 de janeiro, teve uma intensa programação e foi um tempo de revisão, oração, partilha e reflexão. No final, os 26 padres e irmãos participantes divulgaram uma mensagem de esperança e compromisso na qual expressam seus sonhos sobre a missão, a comunidade e o missionário que desejam ser hoje. Confira a íntegra da carta.

p. Stefano bênção final.

MENSAGEM FINAL

"O nome que levais deve impelir-vos a vos tornardes naquilo que deveis ser" (Bem-aventurado Allamano, VS p. 688).

Nós, missionários da Consolata reunidos em Roma para o curso de formação por ocasião dos 25 anos de profissão perpétua ou de ordenação sacerdotal, no final desta experiência, queremos partilhar com vocês esta mensagem de esperança e de consolação.

De 25 de janeiro a 29 de fevereiro, fomos guiados pela Direção Geral, por peritos e por alguns confrades que, com o seu exemplo e orientação, partilharam conosco este momento significativo da nossa vida missionária.

O Papa Francisco, na Exortação Apostólica Querida Amazônia, pede à Igreja para sonhar (cf. QA 7), com ele, também nós sonhamos...

UMA MISSÃO que manifesta a presença de Deus, Pai e Mãe, fonte de toda a consolação (cf. 2Cor. 1,3-6), centrada na figura de Cristo e do seu Evangelho, aberta à ação do Espírito Santo e tendo Maria como modelo e guia. Fiel ao carisma do Bem-aventurado José Allamano, encarnada, inculturada, simples, profética, fonte de encontro, de diálogo, de anúncio e reconciliação. Nutrida pela contemplação, disposta a assumir os desafios da Igreja e do mundo de hoje, livre de colonialismos mentais e aberta à causa dos pobres e dos últimos.

UMA COMUNIDADE como a de Jesus, que vive um profundo espírito de família. Construída a partir de relações fraternas profundas, de verdadeira amizade, perdão e reconciliação. Guiada por um Projeto Comunitário Missionário de Vida e por um espírito sinodal, porque procura trilhar caminhos de diálogo com cada ser humano, credo e sociedade. Pobre, inserida na vida das pessoas, disposta ao discernimento quotidiano, acolhedora, prestativa, em saída missionária e comprometida com o cuidado da Casa Comum.

UM MISSIONÁRIO apaixonado e enamorado da sua vocação de discípulo de Jesus; identificado com o carisma da missão ad gentes; encarnado, ao lado dos pobres, com um coração solidário, maduro e eucarístico; consciente da sua própria fragilidade e dos desafios da missão, que se entrega com fé e esperança nas mãos de Deus a ponto de dar sua própria vida tal como os Bem-aventurados Mártires da Argélia.

Para realizar estes sonhos, estamos conscientes da necessidade de uma conversão contínua, animada pela fé, pela oração e pela escuta da Palavra de Deus. Por isso, nos COMPROMETEMOS, com determinação e entusiasmo, a viver de acordo com este projeto, para o nosso próprio bem, das comunidades e dos povos que servimos.

Nos sentimos acompanhados pela consolação de Maria, o espírito do Bem-aventurado Allamano e a proteção dos Bem-aventurados Mártires da Argélia.

Roma, 29 de fevereiro de 2020

 

Jaime C. Patias, IMC, Conselheiro Geral para América.

Deixe uma resposta

16 − 15 =