Myanmar proíbe entrada de relatora da ONU

Yanghee Lee contava visitar o país no início do próximo ano para avaliar a situação dos direitos humanos, incluindo os abusos contra a minoria rohingya no estado de Rakhine.

Por Francisco Pedro

O governo de Myanmar informou à relatora especial da ONU, Yanghee Lee, nesta quarta-feira, 20 de dezembro, que não autoriza a sua entrada no país e que suspende a colaboração com ela até ao final do seu mandato. A responsável, que contava visitar o território em janeiro, manifestou-se "surpreendida e decepcionada" com a decisão.

papa-francisco-visita-myanmar-20171129-002

Visita do papa a Myanmar.

"Esta declaração de não cooperar com o meu mandato só pode ser encarada como uma forte indicação de que algo realmente horrível deve estar acontecendo em Rakhine, assim como no resto do país", afirmou a relatora, que já tinha estado seis vezes em Myanmar, para avaliar a situação dos direitos humanos e informar a Assembleia Geral da ONU.

Além desta proibição, as autoridades de Myanmar também não estão cooperando com a missão de investigação internacional e independente do Conselho de Direitos Humanos. "Dizem que não têm nada a esconder, mas a falta de cooperação com a minha missão e e missão de investigação dá a entender o contrário", concluiu Yanghee Lee.

Fonte: Fátima Missionária

Deixe uma resposta

8 − 3 =