REPAM: Amazonizar o mundo

Igreja com rosto amazônico e os desafios de comunicar a partir da Laudato Sí’.

Por Júlio Caldeira

Amazonizar o mundo: Igreja com rosto amazônico e os desafios de comunicar a partir da Laudato Sí’. Com este pensamento e sentimento, estiveram reunidos em Lima (Peru), entre os dias 17 e 21 de agosto, 40 comunicadores provenientes da Colômbia, Equador, Peru, México, Brasil e Bolívia, representando diversas agências, organizações, rádios, televisões e meios de comunicação que trabalham e têm interesse em trabalhar coordenadamente com a REPAM (Rede Eclesial Pan-amazônica).

juliocesarrepam1Vivência, reflexão, partilha de experiências, workshop e painéis temáticos, a partir da mística e espiritualidade amazônicas (diariamente se iniciava a jornada com um momento de oração iluminada pela realidade amazônica a partir da Palavra de Deus) foram desenvolvidos no encontro, que teve como objetivo “articular processos comunicacionais de incidência pública e transformação social na Pan-amazônia, mediante um trabalho articulado da REPAM nos níveis local, nacional, regional e internacional”.

No primeiro dia se apresentou a realidade, identidade e o caminho que se vem fazendo como REPAM e a apresentação de experiências de comunicar a Amazônia: Rádio Ucamara (Leonardo Tello, indígena Kukama – Peru), Red Cantoyaco (Liverman Rengifo – Colômbia) e Rádios Comunicativas da Bolívia (Carlos Arze). Contamos com a presença do doutor Francisco Eguiguren, vice-presidente da CIDH e relator da comissão de povos indígenas, que partilhou o compromisso da CIDH e do convênio assinado com a REPAM para uma colaboração mútua.

Repam_01No segundo dia se realizou o workshop “Comunicação para a transformação”, animado por Pedro Sánchez y José Ignacio López, partindo de um diagnóstico comunicacional e de narrativas mobilizadoras que nos ajudam a pensar numa comunicação para a defesa da vida e o cuidado da Criação. À noite, se realizou um grande evento na Universidade Ruiz de Montoya, em coordenação com a REPAM, CAAAP, SEAS e outras instituições, com o tema A Pan-amazônia: reflexões e desafios. Um olhar a partir da Laudato Sí’.

O terceiro dia foi dedicado a se tecer redes locais, nacionais, regionais e internacionais a partir do lema “Amazonizar o mundo”, refletindo e impulsando a consolidação da REPAM. Para isso se realizaram painéis temáticos pensando as bandeiras que nos unem (José Ignacio López), a experiência de rede da ALER (em nível de América Latina) e CORAPE (Equador) e de diversas experiências práticas. A partir do que foi refletido, se realizou a primeira parte de um trabalho em grupo para pensar o que se propõe a realizar a nível local, nacional, regional e internacional.

O último dia do encontro foi dedicado à partilha de experiências e metodologias exitosas realizadas por rádios, televisões e grupos comunicativos do Peru, Colômbia e Equador, bem como das instituições latino-americanas: CLAR (Confederação Latino-americana e Caribenha de Religiosos e Religiosas), CELAM (Conselho Episcopal Latino-americano e Caribenho) e Cáritas da América Latina e Caribe. Foi apresentado o curso de formação da REPAM para comunicadores e agentes de pastoral que se propõe a cada país (o primeiro será realizado no Brasil), chamado “Shigra (Cesto) Pan-amazônico”. A segunda parte do trabalho foi realizada em grupos para pensar ações e tarefas do trabalho comunicativo da REPAM a nível local, nacional, regional e internacional.

O encontro foi concluído com a celebração eucarística presidida por Monsenhor Pedro Barreto, arcebispo de Huancayo e bispo referencial do CELAM para a REPAM, motivando cada comunicador e cada comunicadora a continuar tecendo redes na defesa da vida e no cuidado da criação.

TagsREPAM

Deixe uma resposta

dois × cinco =