Eucaristia e partilha na Amazônia missionária

Congresso Eucarístico Nacional em Belém (PA) reforça a convicção de que o discípulo missionário deve se alimentar do Pão Eucarístico para vencer dificuldades.

Por Antony Murigi, imc

A Arquidiocese de Belém do Pará organizou entre os dias 15 e 21 de agosto de 2016 o XVII Congresso Eucarístico Nacional, cujo tema foi: “Eles o reconheceram no partir do Pão”. Esta celebração coincidiu com a comemoração do quarto centenário do início da evangelização da Amazônia, o aniversário de 400 anos de fundação da cidade de Belém e o Ano Santo da Misericórdia que a Igreja universal de muitas formas está celebrando.

logotipo_congressoeucaristicoO Congresso Eucarístico foi momento de convergência, momento de encontro, convivência e fraternidade de pessoas que professam a fé católica na realidade da Santíssima Eucaristia, que desejam dar um testemunho público de sua fé na presença real do Senhor Jesus. Pessoas apaixonadas pela Virgem Maria, Nossa Senhora de Nazaré venerada a cada ano com o Círio de Nazaré.

Desde o primeiro Congresso Eucarístico que foi celebrado em 1881 em Lille (França), por iniciativa de um grupo de fiéis leigos, apoiados por São Pedro Julião Eymard, a Igreja vem celebrando solenemente este evento em diversos lugares do planeta, repetindo esta bela iniciativa.

O Congresso sempre busca reafirmar e enfatizar nossa certeza de vida eterna, para além dos horizontes de nossa história! A partir dessa profissão explícita de nossa fé na Eucaristia, o Congresso Eucarístico busca as consequências práticas, o compromisso desse gesto tão sublime de adoração! Adorareis o Senhor em Espírito e Verdade (Cf. Jo 4, 24).

Aqui no Brasil, já foram realizados 16 Congressos Eucarísticos Nacionais. O primeiro foi realizado em 1933, em Salvador – BA; o XVI Congresso Eucarístico Nacional, em Brasília, de 13 a 16 de maio de 2010, tendo como tema: Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos Missionários, inspirado na V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe, que aconteceu em Aparecida em maio de 2007.

A missa de abertura no estádio de Mangueirão, foi presidida pelo Legado Pontifício, cardeal Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo e presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), escolhido pelo Papa Francisco como representante do pontífice no Congresso. Ele comunicou a todos as lembranças do Papa que mandou, “ uma grande bênção e um abraço”. E que “Ele sempre lembra com muito carinho os missionários que labutam nesta região, mas também os antigos missionários que em situações mais difíceis evangelizaram a população, especialmente os indígenas”. O cardeal pediu que o Congresso seja um vigoroso impulso para a uma evangelização missionária. “Este é o fruto que o Papa espera”, afirmou.

Nos dias seguintes houve vários eventos que ajudaram a vivenciar este momento com intensidade. Houve uma procissão fluvial com o Santíssimo, a exposição da arte sacra, missa em diversos ritos, o show estupendo do Padre Reginaldo Manzotti, simpósio teológico e as apresentações dos grupos dos jovens, estudantes, crianças e movimentos paroquiais. Todos estes acontecimentos girando sempre em torno da Eucaristia.

Durante o Congresso foram trabalhados diversos temas através das catequeses proferidas pelos cardeais e bispos presentes, tais como: crianças e catequese infantil; evangelização; caridade; o mistério do sofrimento, enfermos; família; juventude; e Maria, mulher eucarística, pois o tema e o lema do Congresso eram "Eucaristia e partilha na Amazônia missionária" e "Eles o reconheceram no partir o pão".

O encerramento começou com a missa presidida pelo cardeal Cláudio Hummes na Praça Santuário com mais de 300 bispos, 1500 padres, multidão de religiosos e religiosas e um grande número de fiéis. Todos se mostravam contentes e emocionados por ter participado neste evento maravilhoso. Durante a homilia, o cardeal falou sobre os desafios da evangelização na Amazônia. "Uma Igreja em saída para ir ao encontro de todos, sim, mas especialmente ir às periferias geográficas e existenciais", disse ele.

No final deste evento, houve uma procissão em direção à Catedral Metropolitana de Belém, no bairro da Cidade Velha, a bênção final aos participantes do congresso foi dada pelo arcebispo metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira.

Os comentários eram muito positivos onde as pessoas elogiaram muito a organização, a participação, a presença de muitos representando todos os cantos da igreja no Brasil e no mundo.

Este evento reforça a convicção de que o discípulo missionário de Jesus Cristo deve se alimentar do Pão eucarístico, para que possa fortalecer-se na fé, na esperança e na caridade e não desfaleça por causa das dificuldades do caminho. A Eucaristia gera a unidade da Igreja: Jesus Cristo, pelo Sacramento do seu Corpo e Sangue, cria a comunhão da sua Igreja, seu Corpo Místico. Como missionário inserido na realidade do povo sofrido da baixada, os olhos fixos no Mestre ajuda com certeza a olhar ao outro com misericórdia, ternura e compreensão.

Deixe uma resposta

4 × 1 =