Regional Sul 2 realiza encontro de futuros missionários para a África

Vindos de várias cidades do Paraná, 30 vocacionados à missão na Guiné Bissau (África), entre os quais dois padres, estiveram reunidos nesta segunda-feira (22), na paróquia Nossa Senhora do Pilar, em Ponta Grossa (PR).

Por Mário Spaki *   

000 a a aguine

A reunião teve por objetivo dialogar com os missionários paranaenses, o diácono permanente Pedro Lang e se sua esposa Salete Lang que atuam na Missão Católica de Quebo, na diocese de Bafatá, naquele país africano.

Durante a missa, dom Sérgio Arthur Braschi, bispo da diocese de Ponta Grossa e referencial para a missão no Paraná, ressaltou a importância do encontro descrevendo o que significa ser missionário num outro país citando o exemplo de Abraão, que deixou tudo em resposta ao chamado de Deus. Dom Sérgio destacou ainda que existem três formas de participar da missão: rezar pela missão, colaborar financeiramente e ser enviado como missionário.
000 a a a agune2A Missão Católica Beato Paulo VI é uma iniciativa das dioceses do Regional Sul 2 da CNBB (estado do Paraná). A diocese de Bafatá tem como bispo o brasileiro dom Pedro Zilli, PIME.

Os missionários Pedro e Salete partilharam a experiência vivida no ano passado junto à comunidade de Quebo: tempo de aprendizado, de mergulho na cultura local com suas motivações: senso forte de família, participação expressiva e cativante nas celebrações. Falaram ainda de alguns desafios como a alimentação, falta de energia elétrica, clima, língua, pobreza, doenças... No entanto, o que mais os contagiou foi a alegria que caracteriza o povo guineense.

Pedro e Salete relataram que várias vezes puderem literalmente salvar vidas. Um dia, enquanto almoçavam, Salete ouviu ao longe um choro desesperado de mulher. Ela deixou seu prato de lado e correu até a casa daquela mulher. Ao entrar, percebeu que a família era muçulmana. Viu uma criança agonizando nos braços de seu pai. Tentou se comunicar em português e crioulo, mas não teve sucesso. Fez então sinal para que aquele homem com a criança a acompanhasse. Imediatamente, junto com o Pedro os levaram ao hospital. Durante o trajeto, Salete pegou em seu colo a criança e rezou por ela à Nossa Senhora. Chegando ao hospital, o diretor, que havia recentemente recebido ajuda da Missão Católica, se dispôs a atender imediatamente a criança solicitando que o pai aguardasse fora. Após o médico ter reanimado a criança, confidenciou à Salete que aquela menina teria morrido se não tivesse sido socorrida de imediato. Ao entregá-la a seu pai, os missionários puderam constatar a alegria e a gratidão daquela família.

No decorrer de 2015, Pedro e Salete sentiram na pele o sofrimento do povo ao contrair malária por três vezes. Essa doença ainda mata muitas pessoas em Guiné Bissau com em muitos países da África. Os missionários com tristeza recordaram que das crianças que moram ao redor da missão católica, seis delas morreram no último ano devido à malária. Esse é um dos motivos pelo qual a Missão Católica construirá um pequeno hospital em Quebo.

O testemunho do Pedro e da Salete contagiou e motivou os presentes de tal forma que muitos deles, emocionados saíram do encontro alimentando o desejo de, em breve, partir para Guiné.

Fonte: Regional Sul 2 da CNBB / POM

Deixe uma resposta

dezesseis + 18 =