Nos passos de Zilda Arns, religiosas dizem 'sim' ao Haiti

Por Rosinha Martins com informações da CRB Nacional

A Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB Nacional) e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviarão outras duas missionárias para compor a comunidade intercongregacional do Haiti. Desde o terremoto que assolou o Haiti em 2010, a CRB, tomou a iniciativa de enviar missionárias, aquele país, por meio da Igreja.

As missionárias enviadas são a Irmã Zenaide Laurentina Mayer, da Congregação das Irmãs Franciscanas de São José, que será enviada dia 27 de outubro, durante Celebração Eucarística realizada na Sede da CNBB. A outra religiosa é Irmã Vanderleia Correa de Melo, da Congregação das Franciscanas de Cristo Rei. As missionárias, que se encontram em Brasília como participantes do Curso sobre missão ad gentes, falaram à assessoria de comunicação da CRB Nacional.

"A colheita é grande e os operários são poucos. A vida da gente só tem sentido quando doada por grandes causas e esta missão é uma delas", disse com brilho nos olhos a Irmã Vanderleia. Natural de Natural de Mariópolis (PR), Irmã Vanderleia tem 17 anos de Vida Consagrada. Há seis anos realiza trabalho pastoral em assentamentos, fazendas e pastoral da criança, na cidade de Cocalinho (MT) Sua expectativa para esta nova missão é que haja troca e experiências e interação com a cultura haitiana.

A resposta positiva de outras missionária que partiram em missão para o Haiti, foi segundo Melo, o grande incentivo para que ela pudesse dizer sim agora. "Esse é o tempo oportuno para mim", afirma. Formada em artes plásticas e pedagia Vanderleia, assumirá, a partir de março de 2016, projetos relativos ao trabalho com crianças, jovens, formação e alfabetização.

"Vou por causa da minha paixão por ser missionária. Minha vocação nasceu do chamado de uma outra irmã à missão ainda na minha infância. Isso me levou para a Congregação. Minha vocação é religiosa e missionária, embora nunca tenha pensado em missão ad gentes mas agora será. Desde que a CRB abriu o projeto eu já sentia vontade de ir missão", contou Irmã Zenaide, natural de Presidente Getúlio (SC).

Sobre suas expectativas em relação à missão, Mayer diz não estar pensando no como será. "Tenho este impulso de ir, aberta a realidade. Expectativa de conviver e dentro da realidade , o que é possível, ajudar, colaborar".

Formada em psicologia, psicopedagogia e teologia, Irmã Zenaide trabalha como psicóloga e psicopedagoga na área social, projetos sociais, atendendo a famílias, adultos, jovens, crianças, com dificuldades de aprendizagem em questão relacional. "Sempre trabalhei nesta área com os pobres", relata.

Zilda Arns - A primeira missionária enviada ao Haiti
Tudo começou com uma conversa da então presidente da CRB Nacional, Irmã Márian Ambrósio com a doutora Zilda Arns, que tinha um projeto eficaz reconhecido pela sociedade brasileira de trabalho na pastoral da criança. Doutora Zilda curou a muitas menores em situações de periferia, aqui no Brasil, com o seu reconhecido e milagroso soro caseiro.

Convencida de que o convite de Irmã Márian de abrir a pastoral do menor no Haiti seria de grande valor para aquele povo, doutora Zilda partiu para nunca mais retornar à sua terra natal, o Brasil. Disse "sim" e apenas tinha chegado, aconteceu o terremoto que dizimou milhares de haitianos e levou para sempre Zilda. Em processo de beatificação, com certeza será ela a intercessora desta nobre causa, pela qual ela deu a vida.

Deixe uma resposta

dois × três =