Burundi: três missionárias xaverianas são assassinadas

Rosinha Martins e Jaime C. Patias

Três religiosas xaverianas foram assassinadas na tarde deste domingo, 7, na casa em que moravam em Kamenge, Burundi, África.

De acordo com informações da Agência Nacional Italiana, as religiosas Olga Raschietti (tia do diretor do Centro Cultural Missionário - CCM em Brasília, padre Estevão Raschietti), Lucia Pulici (trabalhou no Brasil na década de 70) e Bernadetta Borgian foram assassinadas em uma tentativa de assalto, por uma pessoa supostamente desequilibrada.

"A morte das Irmãs Lúcia e Olga Pulici é uma grande dor. Eu gostaria de estender minhas mais profundas condolências às famílias e à ordem das Missionárias Xaverianas de Maria, disse a ministra das Relações Exteriores da Itália, Federica Mogherini. "Mais uma vez, assistimos o sacrifício daquelas que, com dedicação total, gastaram a própria vida aliviando os sofrimentos que ainda existem no continente africano". E acrescentou: "um sacrifício sobre o qual o governo se empenha na busca de esclarecimentos da parte de Burundi, país no centro de muitos conflitos que nas últimas décadas ensanguentaram em especial a região dos Grandes Lagos. Esperamos que as autoridades daquele país esclareçam o ocorrido". A ministra afirmou também, que farão o possível para transportarem o mais rápido possível os corpos das missionárias para a Itália.

A Superiora Geral das Missionárias Xaverianas, Irmã Giordana Bertacchini fala sobre a perda das missionárias

"Um amor incondicional pela gente daquela terra: as três Irmãs assassinadas tinham retornado a Burundi não obstante as suas condições, que não eram boas. Eram três missionárias idosas com graves problemas de saúde que há pouco haviam retornado a serviço daquele povo", disse à Agência Fides, a superiora Geral das Missionárias Xaverianas de Parma, Itália, Irmã Giordana Bertacchini.

Irmã Lucia Pulici, havia festejado no mês de julho, 50 anos de vida religiosa. Ela e Irmã Olga Raschietti sempre trabalharam na África. A casa onde moravam se encontra a um quarteirão setentrional de Bujumbura, um centro Xaveriano para jovens, que promove a convivência entre diversas etnias.

Superior dos missionários xaverianos em Burundi explica o acontecido

"Um episódio repentino, uma enorme dor...", disse padre Mario Pulcini, superior dos missionários xaverianos no Burundi, em relato à Agência de notícias Misna, sobre a morte das três religiosas.
De acordo com o superior dos missionários xaverianos, em Burundi, padre Mario Pulcini, pelas 16h de ontem, Irmã Bernadetta foi até o seu escritório perguntar pelas Irmãs Olga e Lucia que haviam permanecido em casa, enquanto ela e Irmã Mercedes se encontravam no aeroporto para acolher outras Irmãs que retornavam a Burundi após o Capítulo Geral que aconteceu em Parma, Itália. Havia grande suspense, sobretudo, porque no interior da casa não havia nenhum sinal de vida. Padre Pulcini chamou pelas Irmãs Olga e Lucia e não obteve resposta. Irmã Bernadetta entrou por uma porta de serviço e encontrou os corpos das Irmãs sem vida. Os guardas passaram revista, deram uma volta pelo quarteirão sem encontrar ninguém.

Eles foram, então, alertar as autoridades civis, militares, judiciais e religiosas; foram feitos os primeiros procedimentos de investigações e começaram os interrogatórios, especialmente do pessoal da casa.
Padre Pulcini relatou ainda, que não obstante o acontecido, as Irmãs decidiram permanecer e dormir na mesma casa. "E as Irmãs foram me chamar novamente temendo que o agressor estivesse rondando a residência. Quando entraram na casa, encontraram também Irmã Benedetta sem vida, decapitada. No local havia pedras com sangue", informou. "Foram mortas em Burundi, no coração daquela África na qual dedicaram a vida para ajudar os últimos em nome do Evangelho", afirmou.

Acredita-se que o assassino tenha voltado e após atacar pela segunda vez, teria fugido. Do lado de fora do portão se encontravam os militares de guarda, mas não viram nada. A Irmã que ocupava o quarto em frente ao de Bernadetta também não ouviu nada. Agora se espera que as investigações esclareçam o ocorrido.
O bispo de Parma, dom Enrico Solmi, em nome de toda a diocese, expressou pesar e condolências à congregação das missionárias xaverianas e às famílias das Irmãs, confiando-as "ao Senhor da Vida". Além disso, convidou os cristãos de Parma "a rezarem e ao mesmo tempo, fez um apelo às pessoas de boa vontade para que prestem merecida homenagem a essas pessoas humildes e fortes, totalmente dedicadas ao bem de todos".

Ao comentar o ocorrido, dom Evariste Ngoyagoye, arcebispo de Bujumbura, assim se expressou: "a notícia da morte trágica das três missionárias italianas nos deixa chocados. Ainda mais ao saber que se tratava de pessoas idosas que tinham passado suas vidas na África. É um golpe bárbaro para a nossa comunidade", disse o bispo.
Monsenhor Ngoyagoye aproveitou para prestar uma homenagem a todos os missionários, em especial às missionárias xaverianas que estão sofrendo neste momento. O bispo expressou também sentimentos de condolências à congregação e às famílias das vítimas, "pela perda das vidas dessas mulheres totalmente gastas para a missão".

Irmã Lucia Pulici, que comemoraria seu aniversário nesta segunda, 8, tinha 75 anos, Olga Raschietti, 82 e Irmã Bernadetta Borgian, 79.

Fonte: CRB e POM, com Agências de Notícias

Deixe uma resposta

quatro + 2 =