Número de católicos na Alemanha continua diminuindo

Nicolas Senèze

Em 2013 o número de católicos ficou abaixo dos30% da população.
Segundo as estatísticas publicadas pela Conferência Episcopal alemã em 2013, cerca de 180 mil católicos retiraram sua inscrição oficial no órgão da igreja católica. Esse fenômeno é atribuído sobretudo ao fato do escândalo financeiro que aconteceu na diocese de Limburgo.

O abandono da igreja católica é visto como uma hemorragia crescente em relação às estatísticas de 2012, quando foram registrados 118.335 desistentes do registro público. Já em 2010 o número de desistentes tinha alcançado o número de181 mil por ocasião das denúncias dos escândalos de abuso sexual

Todo o cidadão alemão deve declarar sua pertença religiosa ou indiferença a qualquer crença. A partir daí, ele paga um imposto que é direcionado pelo Estado para a igreja correspondente ou para um fundo social. Em 2011, esse imposto tinha alcançado a cifra de 4 bilhões e 918 milhões de Euros que a igreja católica recebeu da comissão mista de gestão.

Recuperação da confiança.

Quando um católico quiser desistir do pagamento, passa por um registro administrativo declarando sua desistência perante a administração pública do fundo. A partir daí não é mais considerado membro da igreja oficialmente e consequentemente não deveria ter acesso aos sacramentos.

Comentando as estatísticas sobre o abandono da igreja, o cardeal Reinhard Marx, presidente da Conferência do Bispos da Alemanha (DBK), falou de "resultados dolorosos". Sem se referir explicitamente aos fatos relacionados com a situação do bispo de Limburgo, dom Franz-Peter Tebartz-van Elst, o cardeal Marx falou sobre o segundo semestre de 2013, o tempo em que "visivelmente houve a maior perda de confiança e de credibilidade".

A diocese de Limburgo, confrontada com as despesas consideradas abusivas feitas pelo seu antigo bispo, ficou sabendo que 7.980 fiéis cancelaram seu registro, ou seja, cerca de 80% acima do que fora registrado em 2012. O cardeal Marx faz um apelo em todos os níveis para que "se recupere a confiança, através de um trabalho bom e convincente".

Os católicos representam 29,9 % da população nacional

A igreja católica alemã contava com 24,2 milhões de membros em 2013, o que corresponde a 29,9 % da população. Em 2012 a cifra era de 30,3 %. E segundo as informações das igrejas evangélicas sediadas no país também elas se encontram com a cifra de 23,35 milhões de fiéis. 

Segundo as informações dos bispos alemães, cerca de 10,8% dos católicos registrados participam nas missas dominicais. Mas em 2012 ainda participavam 11,7% dos fiéis.

Também o número de batismos diminuiu no ano passado, passando de 167 505 para 164 66; e os casamentos da mesma forma (de 47 161 para 43 728). Ao contrário os funerais, com celebração de exéquias, aumentaram, passando 247 502 em 2012 para 252 344 no ano passado.

Em 2013 as 27 dioceses católicas eram constituídas por 11 085 paróquias, servidas por 14 490 padres (dos quais 2 154 religiosos). Ativos no serviço pastoral são 9 222. E o número de leigos diretamente envolvidos no serviço pastoral de forma mais permanente (alguns são teólogos) eram 7 610, uma cifra que permanece estável, se comparada com os anos anteriores.
Nicolas Senèze

 

Fonte: Jornal La Croix

Deixe uma resposta

quatro × 2 =