José Cafasso foi um suave auxílio para aqueles que diante do terror da morte podiam contemplar a vida

Fabiano Farias de Medeiros

"A virtude extraordinária de Cafasso foi a de praticar constantemente e com fidelidade maravilhosa as virtudes ordinárias", dizia Dom Bosco sobre José Cafasso que nasceu na cidade de Castelnuovo d'Asti no ano de 1811. Terceiro de quatro filhos de um casal simples, José desde cedo revelou traços de santidade. Iniciou seus estudos teológicos no seminário de Chieri e no ano de 1833 foi ordenado presbítero.

Alguns meses depois José inicia seus trabalhos pastorais e de aprofundamento eclesiástico no Internato Eclesiástico São Francisco de Assis em Turim. No internato, desenvolve sólido estudo e educação acerca dos sacramentos e da pregação da Palavra tendo como base a espiritualidade de São Francisco de Sales. Com o falecimento do reitor, José foi eleito para o cargo o qual permaneceu até sua morte. Combateu com vigor o jansenismo e o rigorismo, duas correntes que arrebatavam os fiéis de sua fé. Apresentava às pessoas a beleza da religião católica e aliado a isso levava seus alunos para visitar os pobres e encarcerados.

José teve como aluno, o notável Dom Bosco, o qual ajudou a manter os estudos e após sua ordenação custeou sua pós-graduação. Na fundação dos Salesianos foi um grande auxílio e grande benfeitor. José Cafasso desenvolveu forte trabalho pastoral junto aos condenados auxiliando-nos dias antes da morte por enforcamento, prática constante em Turim devido ao número excessivo de migrantes. Seu auxílio estendia-se também às famílias dos falecidos para conservá-los firmes no caminho da fé. Por este apostolado, ficou conhecido como o "padre da forca".

José Cafasso era tio do Bem-aventurado José Allamano, reitor do Santuário de Nossa Senhora Consolata em Turim, Itália e fundador das congregações dos Missionários da Consolata (1901) e das Missionárias da Consolata (1910). Cafasso faleceu aos 49 anos no dia 23 de junho de 1860. Foi beatificado por Pio XI no dia 03 de maio de 1925 e canonizado pelo Papa Pio XII em 22 de junho de 1947.

Fonte: Zenit

Deixe uma resposta

4 × 5 =